Sou eu;

Não tenho medos de meu interno mundo;

nem por nada de mim há desprezo ou rejeito;

tudo aquilo que de mim há, aceito.

Temo sim é o mundo dos homens,

temo os outros,

eu temo você,

temo a guerra de todos os contatos,

temo o conflito dos mais cândidos atos,

temo os fatos,

o externo, a borda, o extremo, os contratos;

Temo a mentira da civilidade,

temo a honestidade brutal que mascara,

temo a morte de mim em ti,

temo a luz que a vida incitara,

temo a saudade, temo a realidade,

eu temo o que não sou eu,

e no fim, na verdade,

todo meu medo sou eu.