13 dicas para você estudar bem qualquer tipo de conteúdo

Aprender algo novo pode ser transformador. Aqui mesmo, na isCool, nós desenvolvemos aprendizado constantemente. Muito em função dos conteúdos que são compartilhados pela nossa rede por meio das pessoas que veem até nós falar sobre suas experiências ou até pelo fato da nossa gestão ser totalmente autodidata — muito do que fazemos aprendemos, na maioria das vezes, fazendo.

Dizem que a capacidade de memorização do nosso cérebro é de cerca de 2,5 petabytes de informações, o que equivale a basicamente 3 milhões de horas assistindo vídeos no Youtube, por exemplo. Entendendo que somos bombardeados de informações o tempo todo e essa capacidade nem sempre é otimizada de fato, organizamos esse post para apresentar para vocês 13 dicas para deixar o seu cérebro e sua capacidade de raciocínio ainda melhor.

Todas as dicas baseadas em pesquisas desenvolvidas por neurocientistas e especialistas em processos de aprendizagem.

Vamos lá:

1) Spaced Repetition.

A “repetição espaçada”, ou seja, para que você possa maximizar a sua aprendizagem, organize sua rotina de estudos de forma que você possa estudar menos, porém mais vezes. Os neurocientistas provaram que as sinapses e as bilhões de conexões em seu cérebro que fazem você se lembrar e entender as coisas crescem à noite enquanto você está dormindo. Isso significa que é mais produtivo estudar regularmente e intercalar os estudos com pausas para descanso.

Tente! Estude algum conteúdo por 15mins todos os dias e você vai se surpreender com o seu progresso depois de alguns dias.

2) Find your own style.

Encontro o seu próprio estilo. No processo de aprendizagem, a forma como você assimila conhecimento pode variar muito comparado ao do seu colega ao lado. Você pode consumir muitos conteúdos presencialmente — na agenda da isCool tem bastante opções — mas o seu colega prefere ler livros em um ambiente mais silencioso, como uma biblioteca. Assim como estudar em grupo, com amigos e até mesmo assistir a vídeos no Youtube, School Of Life ou Coursera possa ser mais fácil para você do que para outras pessoas.

O entusiasmo de cada um pode ser bem diferente. Encontre o seu próprio estilo de aprendizagem e se jogue!

3) Good night sleep.

A boa e velha boa noite de sono. Eu sou daqueles que prefiro que minha equipe tenha uma boa noite de sono ao invés de estufar o peito e dizer que passou horas e horas trabalhando. Como se correr madrugada a dentro fosse justificativa para um trabalho bem feito. A questão é que uma boa noite de sono, com direito a sonhos e tudo mais, é vital para o processamento e armazenamento de novas informações.

Um estudo de Harvard mostrou que estudantes que tiveram uma boa noite de sono conseguiram um desempenho 35% melhor no teste do que aqueles que estudaram de manhã para fazer o teste a noite.

4) Focus.

Possivelmente este seja um dos maiores desafios de quem estuda pesquisando na internet. Se você costuma procrastinar nas suas atividades é a mesma coisa que dizer que você deixa de fazer algo difícil, como estudar matemática, para algo mais simples, como navegar na internet. Por isso, é muito importante não se deixar distrair enquanto estiver estudando. Uma coisa simples é simplesmente desligar o seu celular ou ir para algum lugar mais tranquilo e quieto, como uma biblioteca.

5) Pomodoro Technique.

Essa técnica tem origem na Itália quando um cidadão chamado Francesco Cirillo cronometrava suas tarefas a cada 25mins por meio de um cronômetro em formato de tomate — e como tomate em italiano significa pomodoro — surgiu, então, essa técnica no final dos anos 1980. A ideia é simples: coloque um cronômetro para rodar durante 25 minutos e fique exclusivamente focado nos seus estudos por todo esse tempo. E quando o sinal do cronômetro apitar, você tira 5 minutos para descansar. Caso você queira voltar aos trabalhos, coloque mais 25 minutos e foque novamente.

A ideia das pequenas pausas entre os estudos é que sirvam para que você possa relaxar e descansar além de ter a motivação necessária para dar continuidade nos estudos.

6) Hard stuff first.

Faça as coisas difíceis primeiro. Pois se você é como a maioria das pessoas por aí, você tem a sua maior força de vontade para realizar suas tarefas durante o período da manhã do seu dia. E assim, uma vez que você terminou as coisas difíceis primeiro, você se sentirá melhor o resto do dia e provavelmente mais motivado para os outros compromissos.

7) Expertise, Meditate, Converse.

Exercícios físicos, meditação e conversas informais podem reforçar o seu desempenho também. Existem poucas atividades comprovadas para desenvolver o seu cérebro, porém as atividades físicas, meditações regulares e boas conversações aparentemente fazem isso. Eles provocam a criação de novos neurônios em seu cérebro e, portanto, desenvolvem o seu potencial.

8) Go places.

Um parque. Um sítio ou na beira do mar. Na sacada do apartamento ou nas montanhas do interior. Você pode criar fortes memórias de um assunto aprendendo em um ambiente mais rico que oferece mais pistas visuais, como se permitisse que você assimilasse mais seus conteúdos. Em um experimento, dois grupos de estudantes tiveram de lembrar de palavras aleatórias. Um grupo mudou de sala de aula enquanto estudava e o outro não. O grupo que estudou em duas salas diferentes (uma era pequena e sem janelas enquanto a outra era grande e iluminada) era 40% mais propenso a lembrar as palavras mais tarde.

9) Take fun seriously.

Divirta-se de uma forma série. Não importa como isso pode soar para você, encontre uma maneira divertida de praticar. A ciência moderna da aprendizagem acredita que as emoções positivas são muito importantes para aumentar o seu potencial de aprendizagem. Então faça um favor a si mesmo e tenha um tempo para se divertir!

10) Space your studies.

No intuito de lembrar dos seus estudos por um longo tempo, repita o material em intervalos espaçados. Fatos ou vocabulários, por exemplo, são melhores aprendidos se você revê-los pela primeira vez 1 ou 2 dias após o estudo inicial e assim após uma semana, e após um mês.

11) 30% read. 70% recite.

Ou seja: 30% de leitura e 70% de fala, recital. Se você tem uma hora para recitar um poema ou se preparar para um discurso, gaste 20 mins do seu tempo estudando o texto e 40mins praticando a sua fala. Essa proporção geralmente leva a melhores resultados. E no caso de uma emergência, coloque um copo de água perto de você e tome um pouco caso você se perca na apresentação.

12) Instant self test.

Um pequeno teste rápido sobre o que você acabou de estudar. Recordação imediata na forma de um teste ou de um pequeno resumo do que você acabou de aprender pode aumentar a retenção em até 30%. A questão é que é muito mais difícil o seu cérebro refletir do que ler e esse esforço extra cria vestígios mais profundos em sua memória.

13) Don’t force it.

Esse é o meu preferido. Não forçar como se a motivação fosse algo medido à força ou pela goela abaixo! Eu mesmo já parei algumas vezes de tentar continuar algum tipo de projeto para simplesmente ir jogar um basquete ou assistir Netflix. Motivação é tipo fome. Você não pode se forçar a se sentir motivado assim como você não precisa forçar para comer enquanto não tiveres mais com fome. Portanto, se você não estar com fome agora, tire um tempo e faça outra coisa. No fim, dará tudo certo.

E aí, você já conhecia algumas dessas dicas? Acredito que sim. Espero que as dicas que você não conhecida possam te ajudar nos teus planos futuros de estudo. E que essas dicas também possam te ajudar quando estiveres participando de alguma das nossas atividades aqui na isCool.

Quer ver o vídeo completo dessa animação? Então conheça o canal Sprouts e assista aos vídeos animados dos caras. Vale muito a pena!