Letter of Intent — Rodrigo Aparecido Pena da Silva — Trainees J&J 2019

Eu sou o Rodrigo. 26 anos. Minha história começa em Borborema, de 15 mil habitantes, localizada no coração do estado de São Paulo. Foi onde nasci. Se um dia você visitar Borborema, as duas imagens abaixo resumem bem aquilo que você verá.

Muita plantação de laranja e canaviais!

Minha mãe conheceu meu pai durante um dia de trabalho na colheita de laranja. Minha mãe já tinha 3 filhos e eu fui o primeiro do meu pai. Hoje, tenho um total de 6 irmãos. Meus pais sempre trabalharam nas fazendas e plantações da região, seja em trabalho braçal, como boia fria, ou na administração.

Esse fato me ajuda a lembrar e engrandecer todo o esforço e suor que meu pai teve que investir para me criar, por isso, ele é a pessoa mais importante da minha vida. Sempre me apoia! Sempre está ao meu lado, me amando, independentemente, de qualquer outra coisa. Uma inspiração de ser humano.

Me considero um inconformista! Gosto de cozinhar assadeiras de Brownies e de servi-los acompanhados de uma xícara de café. Dos meus 6 irmãos, o fã número 1 dos meus Brownies é o casula.

Durante o ensino médio, escolhi estudar engenharia química, fui ao Google e digitei: “melhor lugar para estudar engenharia química no Brasil”, recebi de volta: “Unicamp”. Assustei. A professora de matemática havia dito durante alguma aula: “Não percam tempo prestando a prova da Unicamp, vocês são de escola pública, aquele não é o lugar pra vocês”. Lembro de ter ficado inconformado.

Tracei uma estratégia. Terminei o ensino médio. Mudei para Araraquara-SP. Me matriculei no cursinho. Arrumei um emprego e me tornei financeiramente independente dos meus pais. Eu trabalhava em um hospital público, com projeto social de arrecadação financeiros através de doações de notas fiscais. Dobrei as arrecadações. De R$40 mil/semestre para R$80 mil/semestre. Pude impactar a vida dos usuários do hospital. Senti alta realização e satisfação pessoal. Ao final de 2012, após 2 anos de muita dedicação. Só pude sentir felicidade. Veio a aprovação no vestibular da Unicamp. Essa é a minha maior realização, por todo o contexto, pela minha origem e pelo meu esforço e dedicação. Quebrei barreiras sociais. Era dono do meu destino. Sentia-se empoderado. Resiliente. Orgulhoso.

Eu estava feliz, mas tinha ideia dos desafios que teria que enfrentar na Unicamp. Um mundo novo.

Foto noturna do campus da Unicamp em Barão Geraldo

O dia da matrícula foi a primeira vez que pisei no campus. Me lembrei da professora de matemática e veio um sorriso ao meu rosto. Aprendi muito sobre engenharia, mas também aprendi a sair da bolha e desbravar diferentes assuntos. Fiz parte da empresa júnior, idealizei e criei um evento dentro da faculdade para integração de alunos, professores e funcionários. Fiz iniciação científica, escrevi o projeto, encontrei metodologia, realizei os experimentos, coletei os dados e fiz as análises. Fui premiado por Mérito Científico no Congresso Brasileiro de Engenharia Química. Esse projeto também foi premiado por um congresso em Barcelona.

Fiz um ano de intercâmbio nos EUA, participei do programa Shell sem Fronteiras. Criei um mindset global. Um cidadão do mundo, pronto pra impactar positivamente as pessoas. De volta ao Brasil, dei aula de inglês para crianças carentes Campinas. Comecei a compreender a dimensão e a importância das pessoas e das nossas relações pessoais. Das políticas. Do respeito. Comecei a valorizar e a abraçar as diferenças. A julgar menos e dialogar mais. A ser altruísta. Colaborativo. Empático. Resignificar.

Fiz estágio na Rhodia Solvay Group, com engenharia de processos químicos. Realizei projetos de redução de custo de produção no uso de matérias-primas. Realizei meu TCC em um dos equipamentos da fábrica para o desenvolvimento de um sistema de controle de processos diferente de tudo que já havia sido aplicado nos equipamentos presentes no site. Percebi a importância de compreender bem o problema. Ter empatia pelas dores do cliente. E focar na entrega de resultados com excelência.

Meus amigos e familiares têm muito orgulho de mim, dizem que se inspiram, acham-me animado, engraçado e responsável, me pedem conselhos e me contam seus segredos. Como um bom libriano, dizem que sou indeciso, mas ao mesmo tempo destacam que quando decido não tem que o me faça desistir, às vezes um pouco cabeça dura. As pessoas sempre querem fazer trabalhos em grupo comigo, pois sabem que entrego e entrego com qualidade.

Tenho como hobbies: culinária, leitura e yoga. Estou me dedicando a aprender a cozinhar sobremesas durante os finais de semana. Gosto de ler sobre psicologia, filosofia e sociologia, quando tenho um tempo. A prática de yoga e meditação me ajudam a dar uma pausa durante o dia. Amo correr, viajar e fazer trilhas. Minha última viagem foi a São Tomé das Letras-MG uma cidade mágica.

Eu quero ser Trainee na J&J porque quero trabalhar em uma empresa que está presente no dia-a-dia das pessoas e que é reconhecida pela alta qualidade de seus produtos e marcas. Que coloca as necessidades de médicos, enfermeiras, pacientes, mães e pais no centro de suas ações. Com foco no cliente e na satisfação de seus anseios. Sei que na J&J terei a oportunidade de realmente impactar vidas no mundo todo. Quero inspirar pessoas e partilhar minha história através dos produtos e serviços oferecidos pela J&J. Empoderar meus colegas de trabalho. Liderar equipes. Estar presente em diferentes áreas de atuação da J&J deixando minha marca, simpatia e empatia para as pessoas que fazem a empresa. Vejo-me em contato com pessoas de diferentes partes do mundo e em projetos que as envolvam. Quero ser um líder global e aprimorar esse mindset que já possuo. Meu propósito de vida é impactar outras vidas e construir uma carreira pautada em decisões estratégicas, carreira internacional, com uso de design thinking e inovação.