Cine PE: O cinema de esquerda e a censura do bem
Raphael Tsavkko Garcia
313

Se os cineastas não tivessem inscrito seus filmes no festival, teriam visibilidade e possibilidade de realizar o boicote, seu ato político pacífico? Não. Questão de lógica.

Do mesmo modo, você afirma que esses diretores querem um “safe space” e só aceitariam filmes de esquerda, mas viu os filmes em questão? Vi dois, ambos obras de arte sem cunho político.

Ao contrário do filme do Plano Real, do filme sobre Olavo de Carvalho, da atriz homenageada (disso eu nem sabia)… E mais: você cogitou a possibilidade de esses cineastas terem inscrito seus filmes e só depois terem se sentido provocados, ao verem a seleção esdrúxula do Cine PE ?

Eu sou neutro na situação e achei bizarro. Até pelo que representam os Bertini. Não tenho dúvida nenhuma de que a curadoria tinha, sim, intenções políticas. Até pela aparente (falta de) qualidade das obras — como você mesmo apontou!!!! Sendo assim, nada mais coerente do que um artista que discorda do ato político reificado no festival se posicionar contra. Não há excesso, é um contra-ataque na mesma moeda.

Curto seus outros textos, mas esse aqui está horrível. Em primeiro lugar, por ser falho nos argumentos, ilógico e enviesado, disposto a criticar um lado sem entendê-lo (era tão simples); em segundo, por não se colocar acima do que você próprio escreveu e analisar o conteúdo com um olhar autocrítico depois de obter novas informações. Se assim tivesse feito, teria percebido os furos da sua análise.

Like what you read? Give Rodrigo Torres a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.