O grande negócio do “vai dar tudo certo”

Seguindo o texto sobre a hamburgueria Zebeléo, pensei em fazer este texto sobre a nova “pirâmide” do momento, os aconselhadores do tipo “vai dar tudo certo”, como são os empreendedores de palco.

Primeiro, já usei o termo empreendedor de palco antes, mas para dar a devida referência, o termo foi cunhado pelo Ícaro de Carvalho, d”O Indigesto” (infelizmente desativado, mas que me fez repensar bastante sobre todos meus posicionamentos) e do “ Mercado Novo”, referindo-se aqueles empreendedores que vendem promessas as pessoas.

A primeira promessa e mais comum é a de que vai dar tudo certo, basta “empreender” (como se fosse um verbo) em alguma área maluca e daqui um ano, no máximo, você terá retorno na casa dos 7 dígitos.

Os palestrantes da prosperidade agem sempre da mesma forma incentivando os seus seguidores, dizendo “vai dar tudo certo”, seja persistente ou frases motivacionais de mesma natureza. E o pior, é que há muitos que acreditam que com pensamento positivo um empreendimento irá adiante, com boas intenções nascerá uma startup milionária.

A positividade excessiva tem o seu lugar no mundo, mas, não no mundo dos negócios, este é um lugar resguardado para a razão e a criatividade e até a persistência, aquela se esvai quando os resultados esperados não vem, mas essas três em conjunto criam formas de deixar o empreendimento vivo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.