Sozinhos. Somos apenas. Pontos finais.
… Juntos, somos o anuncio de uma história sendo escrita.

Imagine uma linha do tempo, imagine essa linha conectada, não havendo mais, nem meio, começo ou fim, apenas linha, depois, imagine essa linha assim como na imagem ao lado, algo orgânico, vivo, semântico, algo energético, algo sinérgico.

Sua linha do tempo é assim, eterna.

Sempre me perguntei qual o motivo de nos prendermos tanto á inícios, meios, fins… nos prender no sentindo de confeccionar histórias lineares, baseadas em um modo conservador de pensamento.

Idealizamos a vida como se ela fosse uma linha do tempo comum, como se fossemos uma estrada ali parada, enquanto inúmeros automóveis fazem história por cima de nós, inverta esse jogo e vera que não é a estrada que faz o caminho, mas por onde você caminha, existirá uma estrada.

… Nós atravessamos gerações, vamos atravessar mais algumas. E se existe uma estrada, foi você quem à construiu, ela é a sua trilha.

Vamos além, silencie um pouco os ruídos externos e poderá escutar o tic-tac do relógio, irá escutar também as engrenagens do seu corpo pulsando, imagine um espaço sem fim, sem camadas, sem limites, esse é o seu corpo, uma manifestação física dessa natureza. Você é inter-estelar.

Três pontos podem definir uma geração de pensadores, assim como podem definir um pensamento, define que mesmo no fim da história ainda algo está sendo escrito, define que pontos finais lado á lado podem mostrar o inicio de uma nova história.

Música é algo incrível, mas podemos à definir em 3 partes vitais, Harmonia, Melodia e Ritmo.

Um acorde por mais complexo que seja, é construído em uma base perfeita de 3 notas.

Não se assuste, mas uma mesa de 3 pernas jamais precisara ser calçada, é o perfeito equilíbrio.

Nós já não começamos mais histórias, nós somos ela, nos trazemos a sua existência, e podemos conectar o mundo através do que fazemos de melhor juntos.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.