Crowdfunding recorrente dos meus projetos criativos na literatura, como meio de fomentar e engajar a leitura com ações criativas.

Nesses últimos dias vimos o que foi notícia a respeito do Crowdfunding da Bel Pesce e do vencedor Leo Young no Master Chef.

Eu acompanhei de certa forma as vozes do povo quando você vai nos comentários, sim eu tenho essa mania, e percebe claramente a revolta por achar que ela é rica, o vencedor do Master Chefe por ter ganho uma bolada e prêmios, e de que os dois deveriam usar o dinheiro deles pra abrir a hamburgueria Zebeleos.

Não vou entrar muito nessa questão, mas vou falar um pouco dessa ferramenta que muita gente usa como recurso para projetos, até mesmo para negócios empreendedores, como o meu que estou querendo abrir.

No que diz a hamburgueria, teria colocado o financiamento na minha visão, no eqseed, lá explica o que é equity crowdfunding, não sei se a Bel teria sucesso, mas com certeza eles estariam fora dos holofotes, mais por conta da Kickante ser uma das mais conhecidas ferramentas de financiamento coletivo.

Agora entrando na questão dos meus projetos, eu pretendo usar a Benfeitoria, outra ferramenta que está entre as conhecidas junto com a Catarse e a Kickante. Lá é possível você abrir um financiamento coletivo recorrente, e explica direitinho o que você deve fazer, para entregar recompensas a cada meta atingida. Eu estou ainda planejando quais recompensas quero entregar.

Eu vou me utilizar dessa ferramenta pra gerar tipo que uma integração entre a Rogério H.P Pontenegro, e os eventos que quero fazer mensalmente num local, onde tenha encontro com leitores, escritores, blogueiros, amantes da literatura.

Eu a estou chamando de Dimensões — Evento e Ações Literária e Criativa. Não é preciso eu ter somente dinheiro, mas basta ter uma boa vontade para que as pessoas se interessem em comparecer num dia de evento, vai ter picnic, contação de história, recitação e declamação de poemas, bate papo com escritores, uma pequena feira de livros dos escritores que tiverem presente ou outros interessados que queiram comparecer e vender os seus livros neste dia, com um espaço também para leitores poderem ler contos, proposta de leitura rápida e ágil. A medida que o evento é desenvolvendo, ações criativas serão colocadas para tornar a Dimensões mais interessante.

Agora vejamos, um evento como esse vai me gerar custos, eu estou sozinho praticamente por trás de um projeto, cujo um mercado literário não dá muita atenção para os agentes, nisso eu incluo escritores, pois eles devem saber se posicionar como empreendedores, não necessariamente, mas ter uma visão daquilo que se pode criar para trabalhar naquilo que ele mais ama, a paixão de contar histórias.

Pois bem, com essa ferramenta, eu posso justamente pagar todo e qualquer custo que será gerado, o picnic por exemplo, da onde eu vou tirar dinheiro pra comprar salgados, doces e bebidas? Entende o que quero dizer, da onde também eu também vou tirar dinheiro pra pagar o espaço que ocupar numa casa colaborativa? E demais recursos que eu vou precisar colocar pra que esse evento possa fazer sentido. O que eu vou tirar pra mim, será um minimo que sobrar do custo total de tudo que eu vier pagar para os fornecedores.

Estou começando isso do zero, e trabalhando como um auxiliar de serviços gerais numa casa de show sertanejo aqui em São Bernardo do Campo, no Rancho do Serjão. Não vou deixar de fazer aquilo que me moveu durante alguns anos ai, quando me formei em Letras. Sou um criativo, vim estudando nestes últimos meses, e continuo estudando, as novas economias que estão movendo o mundo, as economias criativas e colaborativas.

Se você não sabe, na industria criativa vemos o setor editorial, nisso eu me senti incluído a trabalhar e fazer algo diferente, de muitos escritores por ai que se sujeita a uma mercado tosco, que vem tentando publicar autores nacionais, e ai temos um problema: uma grande demanda de escritores e autores que querem demasiadamente publicar o seu primeiro livro. Por isso que vejo a necessidade de criar a Dimensões, de ser um canal direto para que os autores possam ter pra vender seus livros.

Num evento criativo, é possível criar valor por meio da colaboração e do compartilhamento, é pra isso que venho estudando, de colocar isso em ação em num negócio criativo.

Não vou desmerecer a quem usa desse recurso, mas acho essencial que possamos usar dessas ferramentas, e gerar recompensas, posso claramente a partir das recompensas, fidelizar o leitor num desconto no compartilhamento dos meus livros, que estará num modelo próprio criado de locadora de livros, onde vou tirar uma parte de dinheiro pra mim mesmo. Nisso posso deixar bem definido para escritores que quiserem fazer parceira: Eu compro o seu livro, mas eu vou colocar na minha locadora, essa é a minha forma pessoal de gerar literatura de entretenimento e apoio a autores nacionais. Não é um favor, é um reconhecimento.

O resto pode muito bem entender o que quiser, nada fará mudar o meu propósito que é de gerar um negócio a partir da literatura, algo que quase ninguém tem coragem de fazer. A não ser que eu veja algo semelhante, se você conhece alguma iniciativa empreendedora através da literatura, me mostre, quero conhecer!

Tenham uma ótima semana a todos.