Como superar a síndrome do impostor

Quem nunca sentiu aquela sensação de insegurança diante de um grande desafio? Ou de entrar em uma empresa e achar que todos são muito melhores e logo logo vão descobrir que você não passa de uma grande farsa.

A síndrome do impostor nada mais é do que o medo que temos de falhar. As vezes sentimos medo de fazer uma pergunta em público ou deixamos de colaborar em uma reunião pelo simples motivo que tememos que as pessoas pensem que somos estúpidos.

Esse sentimento pode atrapalhar o nosso crescimento profissional e impedir que mostremos no nosso verdadeiro valor. Nada acontece por acaso. Se você está em uma determinada empresa é porque merece. Não pense que a experiência que você já construiu não vale nada mais nada.

Não deixe de mostrar o seu verdadeiro valor e ser humilde para aprender e também ensinar. Tome cuidado para que sua confiança não vire arrogância. Achar que sabe tudo é o primeiro passo para sua estagnação profissional e também pessoal.

É claro que as pessoas vão estar em um ritmo diferente do seu e você terá que correr atrás para alcançá-los. O Neymar estava longe do Messi no primeiro ano que chegou ao Barcelona. Só que ano passado, o brasileiro já entrou na lista dos três melhores do Mundo e é questão de tempo parar ele dar na cara do argentino.

O gráfico acima, criado pela Alicia Liu, mostra exatamente como muitas vezes nos comparamos com as outras pessoas. A verdade é que cada um tem sua bagagem e a troca é poderosa para que façamos trabalhos significantes juntos.

Como reverter o sentimento de inferioridade?

Se pensamos que sabemos tudo sobre um determinado assunto, nossa mente se fecha para novas possibilidades. O interessante é que as vezes usamos o sentimento de superioridade de forma inconsciente e esse comportamento deriva do medo que temos de mostrar que não sabemos nada.

As crianças geralmente não ficam preocupadas com a sua exposição. E isso faz com que elas experimentem e tenham a capacidade de aprender muito mais rápido. E o senso de inferioridade, por depender dos adultos, dá a elas muita fome no aprendizado. Isso faz com que aprendam muito mais rápido e profundamente.

Quando entramos em um novo ambiente, nossa principal missão é aprender e absorver o máximo possível. Assim conseguimos reverter aquela “inferioridade” para um bem maior.

Acredite no processo

Quando aprendemos um novo skill, frequentemente ficamos frustrados porque o que estamos aprendendo parece muito além das nossas capacidades. É importante não abandonar diante das dificuldades e acreditarmos que o processo vai abrir nossa cabeça e nos dar experiência de repensá-lo no futuro.

É fundamental ter fé no processo e acreditar que aquilo vai te levar a outro degrau do seu crescimento profissional.

Ser melhor que os outros está diretamente ligado a quantidade de horas que queremos investir. É uma decisão pessoal. De agora em diante saiba que você vai passar muitas vezes pela síndrome do impostor. Mas tenha certeza que o seu esforço é o principal combustível para superar essa fase e se sentir mais confiante diante dos desafios que vierem pela frente.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.