Qual é sua realidade?

Você vive a realidade? Então, me explique o que é a realidade.

Há quem diga que você é o que você sonha ser; outros dizem que você é o que você semeia; e o mais realista de todos (na minha opinião): Você é o que você pensa ser.

Pois bem, acredito que vivemos num mundo completamente paradoxo. Parece conversa de alienado, eu sei. Mas deixe-me explicar.

Aquilo que eu sou ou que penso ser, depende dos olhos de quem vê. Nunca saberemos o que é o mundo de verdade, porque tudo o que vemos e/ou sentimos são completamente ligados ao que gostamos ou repudiamos e a forma com a qual lidamos com os nossos sentimentos, depende da nossa saúde emocional.

Certamente alguém já lhe disse:

“Mas será que você não me entende?” “Será que você não vê meu esforço?”. E a resposta é: Depende.

Por mais que alguém aja corretamente segundo nossos conceitos, estamos sempre sujeitos à ideologia de cada pessoa. Está aí a relação entre o que pode ser bom para mim, não é tão bom para você.

Vemos o mundo mediante acontecimentos que já vivemos e/ou gostaríamos de viver. Vemos o mundo conforme nossas expectativas, criadas em nosso subconsciente e pela forma que fomos ensinados a lidar com os devaneios da vida.

Uma pessoa com síndrome do pânico, por exemplo, em meio à crise o mundo parece rodar, a visão fica embaçada, o corpo gela; e instantaneamente o cérebro manda um comando ao seu coração para que o mesmo acelere suas batidas, para que essa pessoa não morra, por consequência, grande maioria ou todas as pessoas que têm síndrome do pânico ou transtorno de ansiedade, tem também taquicardia.

A pergunta é: Aquela pessoa estava de fato morrendo? Claro que não. Mas sua cabeça estava tão confusa em meio aos sentimentos descontrolados de ansiedade, medo, depressão, que imediatamente seu corpo reagiu para defendê-la de si próprio; de seus descontroles emocionais.

O mundo estava realmente girando daquela forma e ficando escuro naquele momento? Girando, é claro que sim. Mas não da mesma forma em que àquela pessoa viu e sentiu.

Está aí a relação entre o mundo real e paradoxo, cuja linha é veementemente tênue.

A forma com a qual eu vejo as coisas acontecerem ao meu redor e no mundo, depende muito do meu estado emocional, e não somente físico. O que você é para si mesmo pode ser completamente contrário ao que eu penso de você; as minhas crenças podem não ser válidas para sua vida, porque somos frutos da consciência de cada história que vivenciamos, desde o instante em que nascemos. Por mais semelhantes que sejam nossas vidas, a forma com a qual absorvemos o que ela tem a nos oferecer, depende exclusivamente do teu modo de enxergá-la.

O vestido pode ser azul e preto ou branco e dourado.

Posso acordar doente e reclamar das minhas mazelas, ou posso agradecer por mais um dia de vida, orar e pedir a Deus forças para seguir em frente, e realmente seguir.

Por isso, não se prenda somente ao que os outros pensam de você, ou somente ao que você acha, tenha sempre bom-senso e seja crítico à tudo o que vier a sua mente, principalmente se for sentimentos de desespero. Não se entregue ao lixo que absorvemos diariamente.

Seja você o autor da sua história e, não um coadjuvante que simplesmente se entrega ao que sua mente quer, sem questionar, criticar, analisar. Sobressaía-se.

R.R
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.