Paulo Maluf, o corrupto brasileiro de estimação.

Paulo Maluf, orgulho nacional.

Paulo Maluf é tipo um orgulho nacional ao contrário. 
É o corrupto brasileiro de estimação.

Procurado pela Interpol, condenado na França e na Suíça, Paulo Maluf é uma figurinha carimbada no mundo, literalmente, do crime de colarinho branco.

Maluf é um típico representante da elite branca paulistana: casado com uma mulher que vem de uma família riquíssima (Lutfala), sempre estudou nos melhores colégios e, inclusive, é formado em engenharia pela Poli/USP uma das escolas de engenharias mais respeitadas do país, juntamente com o ITA.

Ele é o que todo político corrupto do Brasil queria ser. 
Já roubou em tudo que é esfera do poder público: no Legislativo, no Executivo, no município, no estado, no governo federal.

Maluf é uma espécie de bandeirante da corrupção nacional. 
Abriu caminho no esquema “obras faraônicas, propinas nababescas”. 
(Se bem que comparado às roubalheiras de hoje, ele praticamente embolsou dinheiro de troco).

Não que ele tenha sido o primeiro, não é isso que eu quero dizer. 
Mas é tipo um ícone da era moderna, inaugurou um estilo, subiu o sarrafo da safadeza e cara de pau.
Nega tudo sempre com aquele sorriso cínico e aquele olho esbugalhado de maluco.

E tá aí, todo pimpão no seu enésimo mandato como deputado federal.

Pois bem.

Maluf é dos 65 integrantes da comissão que irá analisar o pedido de impeachment da Dilma.

Adivinha para que lado já está contabilizado seu voto?

A favor do impeachment ou a favor da Dilma?

Adivinha.

Like what you read? Give Romolo Megda a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.