Secularismo na raiz

Todos nós, ou quase todos, já ficamos gratos por uma música que expressava aquilo que sentíamos mas não conseguíamos falar ou definir. O ser humano tem uma necessidade crucial de expressar aquilo que sente, e quando as palavras já não dão mais conta do recado, a música assim como outras artes, pode fazer esse serviço. Ser um bom músico é ter uma outra língua principal.

Da mesma forma que consideramos que algumas pessoas tem o dom da oratória, isto é, se expressam perfeitamente em suas palavras tornando acessível a todos seus pensamentos, ideias ou sentimentos, ao mesmo tempo admitimos que nem todos são capazes de fazer isso. A forma como Deus distribuiu os dons entre os humanos é, e sempre será um mistério. Na música, a tradição cristã e mística em geral diz que existem padrões, técnicas e níveis a serem alcançados afim de obter um resultado transcendente no desempenho musical, enquanto a visão ateísta materialista (predominante hoje inclusive entre os cristãos) considera que a música é apenas sobre combinações matemáticas que geram determinados sons, e o valor desses sons é mera opinião do ouvinte, rejeitando assim a ideia de dom e de valor estético. Desde a primeira vez que senti que uma parte da minha paisagem interior foi retratada numa música, descartei por completo a segunda opção, isso muito antes de desenvolver a minha fé (e hoje creio que foi um dos motivos da sobrevivência dela).

Pois, que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, o que o homem poderá dar em troca de sua alma?
Mateus 16:26

O resultado da música cristã ter hoje uma base filosófica ateísta é que não importa mais o estilo musical, e sim o que é falado na letra da música. Sem uma cosmovisão cristã, não apenas os instrumentos perdem sua característica de linguagem mas a própria letra da música perde sua magia encantadora, visto que as palavras são apenas proferidas objetivamente, não se fazendo mais uso de ironia, ambiguidade e outras técnicas que dão forças muito maiores para as palavras além de sua mera objetividade. Uma verdadeira separação entre mente e coração.

Como herança deste fenômeno, vemos cópias e cópias descaradas de tudo o que é feito no mundo musical secular, apenas com diferença nas letras, que funcionam como uma espécie de selo de aprovação cristã. Na antiga batalha secular versus gospel que tanto ouvimos falar ainda hoje, o cristão teve a árvore que dava seus frutos cortada pela raiz e vem se alimentando dos frutos da árvore do inimigo sem ao menos se dar conta. Se orar purifica qualquer alimento antes de ser ingerido, colocar uma letra gospel significa a purificação qualquer estilo musical? Não sei, sei que mesmo orando, sempre tomamos muito cuidado com o que comemos.