Como desenvolver auto motivação apenas colocando o foco no lugar certo

Quem nunca se sentiu extremamente desmotivado e com vontade de jogar tudo para o alto? Bem, isso não é exclusividade de um ou de outro, todos eventualmente já perderam a sua motivação em algum momento. Mas existe uma forma de retomar um engajamento perdido ou evitar sua perda? De acordo com este artigo da Stanford Business, a solução é aonde está o seu foco.

Escrevi anteriormente sobre a importância de se ter um objetivo bem definido a ser alcançado, veja neste link. Sem um objetivo, é difícil chegar a uma felicidade plena, pois nem sempre você estará caminhando rumo a aquilo que te satisfaz.

As pessoas que mantém o foco no seu grande objetivo desde o início da sua caminhada, no entanto, tendem a se desmotivar logo no começo dada a distância que estão da linha de chegada. Para resolver este problema, podemos simplesmente dividir o trajeto inteiro em metas menores, assim ao invés de mirar no topo da montanha, nossa meta agora é chegar ao próximo acampamento. E depois miramos em mais um acampamento e assim por diante. Colocar o foco nos pequenos passos ajuda a desenvolver motivação.

No entanto esta estratégia tem um ponto fraco, o nível de motivação no final do processo tende a despencar e a produtividade segue o mesmo caminho.

Imagine uma pessoa que acaba de iniciar o hábito de leitura, nunca antes ela havia terminado de ler um livro que não fosse obrigatório para a escola ou para o vestibular. Ela percebe que seu livro possui 60 capítulos e faz as contas “lendo 2 capítulos por dia, terei terminado em 1 mês” e fica confiante, afinal 2 capítulos por dia é bem tranquilo. Mas quando ela chega na metade do livro, começa a diminuir a vontade, focar nos 2 capítulos por dia já não é tão motivador e ela não consegue terminar.

Essa história se repete para as metas financeiras, para as metas de perda de peso, para as metas no trabalho, e para quase tudo.

Em compensação, as pessoas que mantém o foco no final do processo, no grande objetivo, tendem a passar os primeiros passos desmotivados, porém da metade para frente se tornam extremamente motivados a terminar o que começaram. É como alguém que começa a segunda-feira pensando no final de semana que vem, no começo está se arrastando para o trabalho e na sexta-feira está cheio de energia e disposição.

Então qual é o modelo ideal?

(É exatamente o que você pensou)

Segundo o mesmo estudo, foram separados 3 grupos de alunos com a mesma tarefa a ser executada em um mesmo prazo. O primeiro grupo foi incentivado a buscar o objetivo final desde o início, o segundo grupo foi incentivado a cumprir cada meta intermediária e o terceiro grupo foi híbrido, no início sub-metas e no final o objetivo.

O terceiro grupo apresentou mais produtividade e por consequência alcançou um resultado melhor do que os outros 2 grupos. Portanto concluiu-se que o modelo mais eficaz é o híbrido, onde você começa pensando apenas nas pequenas metas e da metade para frente você foca no seu objetivo final.

Se você tem o objetivo de ser promovido no trabalho em 1 ano, por exemplo, comece focando nas competências necessárias individualmente e no segundo semestre, coloque o foco na promoção de fato.

Pensando em liderança, você pode utilizar estes conhecimentos para incentivar seus liderados e sempre manter a motivação em alta. Alterne o foco entre o curto e longo prazo. Por exemplo, se suas metas são mensais, ao longo da primeira quinzena incentive cada membro da equipe a bater suas metas diárias, e a partir da terceira semana busque o número final.

O que achou? Deixe sua opinião nos comentários e compartilhe com os amigos :)