Caderno Galgo Rex

O jornalismo cidadão parece ser o destino, se não dos jornalistas em si, ao menos da profissão que há quase trinta anos estava absolutamente restrita às salas de redação dos jornais e revistas do país. Atualmente, entretanto, observamos a crescente participação daqueles que antigamente eram apenas leitores no processo de fabricação e divulgação de informações. Classificados por alguns críticos como Prosumers, este novo elemento na cadeia de produção da informação no século XXI, reúne em si o produtor e o consumidor de notícias, e é o público esperado pelos novos veículos de mídia.

O novo veículo de mídia associa a produção independente de leitores, blogueiros e jornalistas à tecnologia da informação, criando assim uma plataforma de informação inteiramente gerida pelos próprios usuários, que publicam e promovem o conteúdo do site.

“Pensamos em um sistema que pudesse dar aos leitores o melhor conteúdo, bem como as informações que mais interessam a cada um”, afirmou Ronaldo Lopes Coelho, um dos fundadores do projeto. O novo jornal parece um híbrido de rede social e os conhecidos agregadores de notícia, porém as coincidências terminam aí. Uma vez realizado o login, o site oferece não apenas uma conta pessoal ao usuário, mas a chance deste poder criar seu próprio caderno de notícias, assinar os conteúdos desejados, classificar os textos, seguir outros “jornalistas”, conversar com os demais usuários, compartilhar o que foi publicado, entre outras ações interessantes.

Criado em 2013 por quatro estudantes da Universidade de São Paulo, o Galgo Rex passou dois anos em desenvolvimento, “Nas horas vagas, aquelas que tínhamos além das aulas e do trabalho normal de cada um, sentávamos e nos reuníamos para trabalhar e decidir como o site iria funcionar”, disse Ricardo Augusto Fernandes, programador e também um dos sócios. “Queríamos dar às pessoas a chance de terem um feed de notícias extremamente relevante, por isso fizemos o Galgo Rex”, completou.

As redes sociais foram as primeiras a permitir que fosse colocado em prática o chamado “jornalismo cidadão”: a versão colaborativa do jornalismo, realizada pelos “meros leitores” que, empossados de meios e novas mídias, puderam finalmente veicular as informações que possuíam. Contudo, não demorou para que as antigas maneiras de colaboração dos meios tradicionais de informação tomassem formas mais robustas, inovadoras e, seguindo a progressiva abertura dos canais de comunicação, também inclusivas.

Nesse meio tempo foram lançadas iniciativas como o jornal digital sul-coreano Oh! My News! e o norte-americano Sulia, que possuem estruturas bem diferentes do site de notícias brasileiro: este tem como célula editorial os cadernos e, no futuro, pretende aumentar ainda mais o poder de colaboração entre os usuários. A ideia por traz da empresa é gerar uma rede de notícias que conte com milhares de colaboradores, espalhados por todo o país e, de celular nas mãos, sempre prontos para escrever e “dar o furo”. “Estamos buscando algo além do jornalismo de opinião”, disse Ronaldo, “queremos também ser o primeiro a relatar os acontecimentos”. O símbolo do jornal é o peculiar cachorro de corrida da raça Galgo: magro, elegante e veloz, bem no estilo do jornalismo (e de toda a comunicação) desse século que se inicia.

Email: contato@galgorex.com.br


Originally published at galgorex.com.br.