Meu Monstro

Parte meu coração, quebra meu espírito.

Minha dureza comigo mesmo destrói o meu ser.

Sinto nojo, sinto raiva, não quero viver dentro de mim.

A tristeza me contamina, a angústia me consome.

Existe um monstro aqui, me comendo, me roendo, tornando-se eu.

Feio e egoísta.

Narcisista e orgulhoso.

Sarcástico.

Eu o odeio e ele me odeia.

Ele me chama fraco sempre que choro.

Ele cospe no chão quando peço desculpas.

Ele responde com raiva sempre que demonstro medo.

Ele está lá todos os dias.

No espelho do meu banheiro.

Dentro de mim.

Com raiva, com fome.

Sozinho.

Nunca contente.

Nunca indo embora.

Mas ainda assim eu o perdoo.

Só assim eu consigo ir em frente.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.