Desidentidade
Malokêarô
21

Me identifiquei muito com o seu texto, penso que muitas mulheres negras vão se identificar com ele. Senti uma inveja por não ser essa jovem que queria voltar a ser criança quando se percebeu adulta, porque a infância foi violência, mas, ao mesmo tempo, reverenciei a jovem de 21 que enfrentou a infância violenta e chegou aqui. Seu texto tem uma nostalgia que para muitas de nós pretas não existe, essa doçura da infância, do amor e proteção. Seu texto é um construção de afetos para uma coletividade silenciada. Seu texto é uma poética de humanização de nossas vozes sufocadas.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.