La nuit n'en finit plus

Lugar de dois collage by RV

São exatamente meia noite. Estou dançando ao som de “La nuit n’en finit plus” de Petula Clark degustando uma taça de vinho. Eu as comprei numa liquidação… Black Friday? Ah, não me lembro. Cá estou eu, estreando-as com um vinho de quinta cantando Quel monde insensé Je voudrais dormir et ne plus penser. Espero que não fique triste pela péssima escolha do vinho. Perdoe-me, o quão desastrada eu sou, tropecei na sua mesa de centro Baker Furniture que você tanta ama. Derrubei algumas gotas de vinho pelo chão e no móvel, espero que não se importe tanto pela bagunça quanto pelo vinho de tão amargo que é. Sinto a garganta queimar a fogo bravo enquanto me delicio na minha doce depressão, pseudo dramática, eu diria, já que adoro uma epopeia de quinta. Cresci vendo novelas mexicanas com a minha mãe. Desculpa, se eu o decepcionei, tão culta, tão inteligente, tão empoderada, tão mulher e tão puta nas horas vagas que você tanta ama, mas nem todos nascem numa família abastada. Oras, essa sou eu e não vivo só de literatura, de romances e poesia, eu não posso ser o seu ideal romântico. Ok. Me desculpe se estou sendo ácida, mas o que eu posso fazer se a sociedade me decepciona na busca de seus heróis e as pessoas vivem em bolhas cinematográficas… Estou bêbada e enjoada, pelo jeito a madrugada será longa. O que foi? Por que você está me olhando desse jeito? Não, não vem com seus sermões baratos… Por que você não olha para si próprio? Se você ao menos soubesse que os dias mais loucos e tristes de nossas vidas foram os dias mais humanos de nós mesmos juntos. E agora a vejo aí sentada, perdida. Pensando nas escolhas que fez ao invés de… É, sempre eu e você. Nós. Sempre nós. Nós poderíamos ser grandes um dia. Como poderíamos ter sido selvagens. Somos errantes, poderíamos viver como Bonnie e Clyde se quiséssemos, confrontando a lei, assaltando bancos, roubando jovens corações. Por quê nos envolvemos em relacionamentos emocionais complicados? Eu sei, todos nós temos problemas e uma gaveta cheia de contas para serem pagas junto as responsabilidades adquiridas precocemente porque queremos mais, e, mesmo assim nunca estamos satisfeitos. São essas crises existenciais em que você se vê dentro de um filme de Lars Von Trier a meio fio escolhendo se quer ser Justine ou Claire todos os dias. Acho que acordei com o pé esquerdo hoje, estou achando graça os meus dramas. Estou tendo os meus dias de rainha, acaso você não tenha percebido. Fique sabendo, a cada quinze dias faço terapia, sempre às oitos horas da manhã. Gasto uma hora da minha vida em que não me questiono, falo tudo que penso. Uma hora para encarar quem somos, enfim, isto não é importante para você. Calma meu amor, sinta a música. Prometo que fico de bico calado… O quê? O que eu posso fazer se a minha mente não para por um segundo de pensar, eu não consigo encontrar a paz que tanto anseio. Você vive me dizendo “Situações ruins vêm e vão e você as tem que aguentar querendo ou não. Aceitação é a resposta”. Mentira. Foda-se as suas respostas programadas, pragmáticas e controladoras. Ok, ok, ok talvez isso tudo seja capricho meu. Acho que preciso de outra taça de vinho… Oi? Sim, eu não paro. A verdade querida, é que mentes inquietantes nunca encontram a paz, elas morrem antes de entender o real significado da palavra “paz”, a morte seria um conforto. Veja bem, eu não estou sendo negativa ou suicida, todos nós somos suicidas indiretamente, só estou sendo cética. Oras, vindo de mim não é algo de se esperar quando você me diz que eu sou peculiar no sentido de ver e sentir o mundo de um jeito tão sinestésico e sensorial ao contrário de você. E você, para mim, estranha e desconcertante, é, estamos quites em nossos desejos, mútuo e singular. Eis um mistério, te quero bem e este texto não é sobre você, é sobre mim ou será que é sobre nós? E… O que você faz? Bem… Você fica aí sentada se olhando no espelho assistindo o seu reflexo enquanto trago um cigarro atrás do outro cantarolando Oh oh oh oh, oh ! la nuit N´en finit plus…

Petula Clark - La Nuit N'en Finit Plus