Rotaractianos, os aprendizes.

“Em tempos de mudanças drásticas, são os aprendizes que herdarão o futuro. Os já instruídos geralmente se encontram preparados para viver em um mundo que não existe mais.” Em outras palavras, os grandes líderes precisam ser aprendizes durante toda a vida. (Criando Magia: 10 estratégias de liderança desenvolvidas ao longo de sua vida na Disney. Lee Cockerell, p.214)

Se você faz parte do Rotaract já está bem acostumado com a palavra liderança. Além de estar na “moda”, ela acaba pautando vários encontros Rotaractianos, direta ou indiretamente. Hoje vou refletir sobre ela aqui de forma direta.

Certa vez ocorreu durante um evento uma situação que eu não curti muito. Estava lá eu, na sexta feira do evento, numa roda de companheiros, batendo um papo. Do meu lado esquerdo tinha uma garota de outro Distrito. De repente ela pergunta para mim e para a outra companheira (essa do meu distrito mesmo) quais eram nossos cargos. Respondemos, até ai tudo bem. Então essa garota de outro Distrito estufa o peito e fala “Eu sou a RDR do Distrito X”, com praticamente nenhuma modéstia. Ah, meus queridos fiquei indignada com o tom de voz dela. Calma que sou, já fui pensando em responder “E dai? Problema é teu!”. Graças a amiga do meu Distrito que tomou a frente e felicitou ela super simpática, falei nada. Ainda bem, né?

Pensei muito para contar sobre ocorrido, afinal defendemos tanto uma organização que amamos para então falarmos das coisas que são erradas nela. Mas organizações são compostas de pessoas que, obviamente, são imperfeitas. E não adianta nada fingirmos que não.

Enfim, fiquei brava mesmo, não só por ela estar ali “se achando”. Mal recordo o rosto da tal garota e esqueci qual o Distrito que ela pertencia. Porém eu precisei trazer essa lembrança à tona, para usar como estopim para o resto desse texto.

A pessoa que preside um Rotaract Club, ou representa um Distrito é tão boa quanto todo os outros. Só chegou nesse cargo por que os demais associados permitiram através do voto. Além de que os cargos da Família Rotária são rotativos. Isso para dar a oportunidade de todos aprenderem. É isso que faz um bom líder, a capacidade de querer aprender o tempo todo. Ser inteligente para perceber que nunca se sabe o suficiente. E principalmente: Ser líder não é um título a ostentar e sim uma responsabilidade. Então deixemos as hierarquias de lado.

Estar no poder é como ser uma dama. Se tiver que lembrar às pessoas que você é, você não é. Margareth Tatcher

Durante o meu episódio preferido da série Game of Thrones, no dia anterior a uma batalha, o comandante de um dos exércitos fala ao oponente “Seus homens lutariam por você sabendo que você não lutaria por eles?”. Da mesma forma um líder tem que se perguntar “Minha equipe trabalharia por mim sabendo que não trabalho por eles?”. O Rotary trabalha com um estilo de liderança horizontal, em que todos trabalham lado a lado por uma causa em comum. Ao se associar a um Club você começa a chamar todos que participam dele de companheiro. Ao entrar para a presidência continua assim, pois você não vira o/a chefe.

Segundo o livro O Monge e o Executivo a Liderança é a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum. Então suas palavras e atitudes farão muita diferença. Por isso o Rotary tem valores éticos a serem seguidos e o Presidente de Club tem que ter conhecimento deles. Mais do que isso, ser o exemplo em carne e osso deles para poder incentivar os demais associados.

Você pode cometer vários erros na presidência de um Club (e isso vai acontecer) mas sempre norteado pela ética estipulada pelo Rotary. E mesmo ao deixar o cargo continuará seguindo esses valores. Afinal, independentemente de estar na presidência você será sempre um aprendiz assim como todos os seus companheiros.

Texto: Maína Gubert

Para saber mais sobre liderança: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/tres-estilos-de-lideranca-e-os-impactos-junto-aos- ͉��W�

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.