Bem vindo ao agro: um mundo de prosperidade

O agronegócio brasileiro movimenta 330 bilhões de dólares ou 1 trilhão de reais, o que representa ¼ do PIB Brasileiro, e responde por 37% dos postos de trabalho e 36% das exportações. Ainda em relação às exportações o Brasil é líder mundial em Laranja, Café, Soja, Açúcar, Gado, Frango e o 2º em milho. Em se tratando de produção é líder mundial na produção de Laranja, Café e Açúcar, fica em 2º lugar em Soja e Gado, e com a medalha de bronze em Frango e Milho.

Só crescemos nos últimos 10 anos em razão de algumas vantagens competitivas, as quais se destacam: 1) Solo e clima apropriado e que permitem produção durante todo o ano; 2) Custos “dentro-da-porteira” muito competitivos e altas produtividades; e 3) Tecnologia avançada. E Tudo isso utilizando ~363 milhões de hectares, 43% de todo o território nacional, distribuídos aproximadamente da seguinte maneira:

Entender esses dois quadros é um gigante primeiro passo para compreender a importância do agro brasileiro e suas potencialidades do lado da oferta.

Do lado da demanda os números são tão ou mais favoráveis. Somos 7,3 bilhões de pessoas no planeta e estimativa de um salto para 9,5 bilhões em 2050. Desses, 55% vivem em centros urbanos e, para 2050, a projeção é que a proporção atinja 67%. Em estudo recente da OCDE-FAO, foi atribuído ao agro brasileiro a missão de responder por 40% deste crescimento de demanda por alimento.

Ainda grande parte desse crescimento ocorrerá em países emergentes, os quais tem o crescimento em linha com um ciclo favorável para o agro brasileiro: -> Melhores condições econômicas e de qualidade de vida -> demanda por mais carne e outros alimentos de origem proteica, ou seja, mais boizinhos, vaquinhas, porquinhos e franguinhos -> e aumento da produção de grãos para alimentar essa turma toda.

Resumindo: um mundo de prosperidade e um planeta faminto. Será que a conta fecha? Aguarde as cenas dos próximos capítulos.