O Homem do Castelo Alto

A meta de livros para 2017
Assim como você, eu pulo 7 ondinhas e coloco metas para cumprir no ano seguinte. Claro, via de regra não as cumpro. Para 2017 coloquei uma meta relacionada a livros. 24 em 2017. E o primeiro livro que li em 2017 foi o Homem do Castelo Alto de Phillip Dick enquanto estava curtindo minhas férias em Arraial D’Ajuda. Devo dizer que ler de frente ao mar, enquanto se toma uma cerveja é bem gostoso. Mesmo que a temática do livro não fosse tão leve.

O livro
O Homem do Castelo Alto ou The Man in the High Castle no original é um distopia publicada pelo romancista americano Philip K. Dick em 1962. Dick, durante quase 3 décadas publicou mais de 36 romances de ficção científica e 121 pequenas histórias sobre a essência humana e sobre o perigo do poder centralizado.

Capa Original do Livro em 1962

Dick apresenta uma sociedade distópica em que os Nazistas e Japoneses ganham a Segunda Guerra Mundial. Nesse mundo, os EUA são divididos em 2 pelos vencedores. Costa leste com os Orientais e a Costa Oeste com os Alemães.

O livro é narrado em 1ª pessoa em sua totalidade. Ao longo da narrativa conhecemos alguns personagens que contam suas histórias pessoais. São eles:

Robert Childan — Dono de um antiquário que vende peças americanas coloniais em São Francisco

Frank Frink — Judeu-Americano que vive disfarçado como um habilidoso metalurgista.

Juliana — ex-mulher de Frank — Instrutora de Judô nos territórios neutros

Nobusuke Tagomi — Importante Oficial de Comércio do Império Japonês

Baynes — Representante Comercial da Indústria Sueca

Divisão do Mundo segundo o livro.

Eles retratam de como o mundo ficou. Em termos gerais, apesar de Hitler ainda estar vivo, ele mal sobrevive devido a sífilis que já atingiu seu cérebro. Martin Bormann é o atual Chanceler do Reich. Além dele, Goebbels, Heydrich, Göring, Seyss-Inquart e outros Nazis traçam planos para tomar o poder. Os nazistas também desenvolveram vôos ultrarrápidos por meio de foguetes que ligam capitais como Nova York e Berlim em menos de 1 hora, além de terem colonizado a Lua, Vênus e Marte.

Ao longo do texto, muitos dos personagens citam a obra The Grasshopper Lies Heavy de autoria do fictício escritor Hawthorne Abendsen. Abendsen trata de um futuro em que os Aliados ganham a 2ª Guerra. O autor mora em um Castelo Alto na cidade de Cheyenne, Wyoming. Por isso o nome do livro. Por mostrar um “futuro sombrio”, The Grasshopper é proibido em território alemão, apesar de ser permitido nas províncias japonesas e países neutros como o Canadá.

O mundo que Dick desenha é verossímil de ter existido. Apesar de nunca ter acontecido, a riqueza de detalhes com que ele o descreve é notável.

I Ching — O livro das Mutações

Tradução feita do Original Chinês

Outro livro bastante citado e dessa vez real é o I Ching. O I Ching é um importante texto chinês, que data de mais de 2500 anos. Ele fornece inspiração para religião, psicanálise, negócios, literatura e arte. Para entender um pouco sobre o que se trata, compensa ler o artigo da Wikipedia. Deixo ele nas referências que consultei.

Curiosamente, ao procurar informações sobre o I Ching, achei uma opção “virtual dele”. Nessa versão, você faz perguntas e depois de “jogar os dados” do Ying e Yang, obtém uma resposta.

http://www1.uol.com.br/iching/

Claro que eu não poderia deixar de me entreter com o site. Eu perguntei: Como será meu futuro profissional esse ano?

Olhem a resposta:

Vale a pena fazer umas 5 perguntas e ver as respostas. Você vai gostar.

No livro, os personagens usam o I Ching para decidir sobre questões amorosas ou mesmo a dúvida de abrir (ou não) um negócio.

Voltando ao livro. Ou ao final dele
A narrativa do livro é muito devagar. A sensação é que a história não passa. Ou passa muito vagarosamente. Dick se prende em detalhes desnecessários e que nada acrescentam à trama. Quanto ao final do livro, ele também deixa muito a desejar. Chega-se com muitas expectativas sobre o final. Espera-se que ele vá revelar partes importantes do livro, mas nada disso acontece. O diálogo entre Juliana e Abendsen é fraco e revela pouca coisa. A sensação que dá é que O Homem do Castelo Alto poderia ter umas 50 páginas a mais ou pelos menos uma continuação em que a história dos anos posteriores fosse contada.

Como um leitor escreveu na Amazon, alguma reações acontecerão após o término da leitura.

Número 1: Você vai reler instantaneamente o final.

Número 2: Você vai jogar o livro contra a parede e exclamar “é isso mesmo?”

Número 3: Você provavelmente vai reler o final novamente.

Número 4: Você vai jurar que nunca lerá outro romance de Philip K. Dick.

Número 5: Mais tarde, você vai pensar um pouco sobre o livro, e perceber que o romance não era realmente sobre o que você pensou que era.

Número 6: Você vai lê-lo novamente. E de novo

Mais ou menos assim:

Série da Amazon 
Em 2014, a Amazon, através do seu serviço de streaming encomendou um episódio piloto de uma série baseada na obra de Dick . Pelo fato desse piloto ter sido o mais assistido de todos os tempos, a Amazon encomendou a primeira temporada inteira. Com o sucesso dela, a segunda e a terceira já estão garantidas também.

Ainda não assisti a série, mas dando uma boa pesquisada, pude checar que a série recebeu nota 8,1 pelo IMDB. Pela minha experiência, filmes e séries com nota acima de 7 já são razoáveis. Mas se a nota estiver acima de 8, via de regra são um “Must Watch”. De toda forma, dizem que a série foi bastante alterada se comparada com o livro. Espero conseguir assistir ainda nesse ano. Daí conto para vocês!

Arte da Série da Amazon.

Fontes consultadas
IMDB — http://www.imdb.com/title/tt1740299/
Wikipedia — https://en.wikipedia.org/wiki/The_Man_in_the_High_Castle
Imagem 1 — http://bit.ly/2ibg9Tv
Imagem 2 — http://bit.ly/2iWkY3O
Amazon Americana — http://amzn.to/2jvnWNX
Wikiedia — https://en.wikipedia.org/wiki/I_Ching
Wiki How — http://pt.wikihow.com/Fazer-a-Resenha-Cr%C3%ADtica-de-um-Livro