Rapport

Há uns dias a caldeira da minha casa avariou. Fiz uma pesquisa no google que me deu uma lista de possíveis reparadores. Fui clicando nos links que pareciam mais interessantes e acabei com uma dúzia de páginas abertas. Telefonei para o primeiro da lista, que me informou que não efetuavam reparações a caldeiras da marca da minha, mas acabámos por ter uma conversa bastante interessante e agradável sobre o assunto.

Antes de desligar perguntei-lhe se recomendava alguém. Deu-me um nome e um número.

Telefonei para esse número e marquei uma intervenção ainda para esse dia.

Depois fechei as restantes páginas — por ver e por contactar.

Não deixa de ser curioso ter optado pela recomendação de um perfeito desconhecido com quem tinha acabado de falar ao telefone em detrimento das restantes páginas que tinha aberto.

Páginas web bem desenhadas não são comparáveis à iteração e confiança humana. Nem revisões online cuidadosamente redigidas. Mas o som de uma voz, o tom da autoridade, a reciprocidade de um favor. Importam mais hoje do que alguma vez importaram.

Fique bem e bons negócios,
Ricardo Patrocínio

Uma nota rápida…

Se está no Porto, porque não no dia 24 de fevereiro participar no nosso próximo workshop gratuito? Clique AQUI para se inscrever.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.