Comunicado ao leitor (se é que tem alguém aí)

Se você ler a minha bio, verás que decidi escrever todas as segundas, quartas e sextas-feiras (não necessariamente nesta ordem). Eu me esforço para, antes de dormir ou antes de me levantar, escrever algo relevante e intenso para aqueles que me leem.

Mas quem reparar na minha time line de publicações, verás que o último texto é do dia três deste mês, deixando em branco duas segundas, duas quartas e duas sextas-feiras.

Não é falta de assunto. É falta de tempo (e de cabeça).

Estou me formando na minha segunda faculdade. E se você já chegou neste momento de sua vida, sabe que para se formar você precisa criar, recriar, rerecriar e apresentar o TCC. E é nesta parte da minha vida que eu me encontro. Semana que vem eu apresento o meu para o corpo docente da faculdade. Doze dias depois, apresento para profissionais da área. O TCC não está finalizado e a minha equipe conta com mais cinco pessoas. Faíscas, tensões e indecisões são as palavras chaves do momento.

E não bastando, estou atrasando meus afazeres profissionais. Já deixei cliente na mão, perdi outro e briguei com alguns. Está faltando tempo.

Pra você ter uma ideia do momento, eu resolvi viajar com a família entre os dias 12 e 16 para esfriar a cabeça. Não consegui. Ficar longe dos problemas me trouxe mais.

Pra você ter mais uma ideia do momento, eu não estou tendo tempo para ler um livro, para ir ao cinema ou pra assistir um único episódio de qualquer série que sou viciado.

A estrada está escura e escorregadia, meus sonos estão perturbados, não há calma neste corpo e a luz no fim do túnel só aparecerá no sábado que vem.

Novo texto, só dia 31, dia de Halloween, contando o horror que é trabalhar com pessoas incapazes.

Torçam por mim!