Não julgue a minha soneca vespertina

Tirar um cochilo pós almoço é quase uma religião que pratico fervorosamente desde que me conheço por gente.

Essa pratica você já conhece: almoçar, tirar a roupa suja das primeiras horas do dia, vestir um short casual, deitar no sofá, colocar a Tv no mudo e fechar os olhos por alguns minutos.

Desde a época de escola, eu tinha o prazer comprimido em apenas alguns minutos do dia que era o momento do cochilo no sofá. Ali acabava todo o estresse da manhã, todas as preocupações da prova do dia seguinte e todos os problemas amorosos que um adolescente acumula durante sua vida. Confesso que esses minutos às vezes se tornavam horas e o inferno na minha vida começava, pois quem conseguiria dormir à noite depois de hibernar por quase cinco horas naquela tarde? Mas eu amadureci e entendi que a soneca de no máximo meia hora era suficiente para ter uma vida mais feliz ao decorrer do dia. De segunda à sexta, com muito ou pouco afazeres, acordando cedo ou tarde, com calça jeans ou pijama a soneca sempre aconteceu. E começando pela minha mãe, sempre fui julgado por praticar tal descanso, sendo chamado de vagabundo e preguiçoso.

Mas pesquisas recentes, agora, me ajudam na batalha do argumento que cochilar após almoçar não só nos dá mais ânimo para o resto da peleja como também ajuda a descansar o corpo, a mente e a alma. A primeira veio da Universidade de Michigan, que afirma que o cochilo durante o dia ajuda na redução da impulsividade e frustações. Depois veio a USP, mostrando que o pequeno descanso ajuda na concentração. Agora, e não menos importante, cientistas aparecem dizendo que colocar o corpo para descansar no meio do período ajuda E MUITO a reduzir ataque cardíaco e pressão arterial. “Tá bom pra você, mãe?

Estou imprimindo todas essas pesquisas e levando comigo para todos os compromissos, pois a filosofia da minha mãe também se faz presente nessa vida de adulto com compromissos em produtoras e agências de publicidade. Sempre tenho que responder o porquê de fazer duas horas de almoço e porquê faço questão de almoçar em casa.

Se antes eu só respondia que era por causa de uma soneca no sofá, agora digo que é questão de saúde.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.