Printerest

Sinto em meu peito imensidões de saudades daquilo que talvez

Num dia próximo, ou infinitos distantes,

Em que tudo isto se deu não sei se no claro,

Ou no escuro,

Em que tudo isso aconteceu sem me dar por nada disto.

Acordo-me com uma clareza irrefreável

Daquilo que não está

em minhas mãos,

Sequer a cinco metros de distancia.

Levanto-me da minha cama

Sem saber nem de mim

Querendo descobrir confins

Daquilo quando nem sei se existo.

Saberei, em trilhões de segundos,

Qual quimera

Ou este fim?

Até não querer disto tudo

Saber qual será o fim de mim

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.