14/02/2017

Nada é pervertido, nada é proibido
Quando a gente sente o prazer de amar, o que nos resta é justamente sentir.

Sentir o toque, que nos causa arrepios,
Os olhares, que nos trás confiança,
Os beijos, que causa "delirança".
Cada minuto, cada calor.
Os desejos e anseios.
A renovação de um corpo.
Tudo!
Parece perfeito.

Sabe quando a gente se sente quente? 
Quando a fervura de querer amar transborda não só o corpo mas também a alma?
Quando tudo ao seu redor se torna beleza? 
E os seus olhos anseiam por um momento de glória?

É nessa hora que o calor se instala em suas vontades, e assim tudo se torna livre, tudo se torna arte. 
Hora de entrega,
Quando as mãos se encontram.
E a dor muda de significado e vira prazer.
Sinônimo de "Puro êxtase".

E antes que a poluição mental ataque,
Não falo de sexo,
E sim de amor e arte.
Falo de calor e transmissão de sentimentos.
Tudo que possa a vir se transformar em experiências sedutoras que vão além do momento.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.