vou desabilitar o sonho em mim, ela escreveu no chão da praia, na espera que o mar apagasse seu medo, o mar veio e desviou suas águas…

o mar vem e esconde na dor da água o medo das tempestades, o mar esse monstros deus que engedra o mundo e o seu caos habitável…

ele veio e lavou a praia, levou os corpos e palavras grifadas na areia, o mar afogou-se no que havia de amor.

assim, ela ficou desabilitada para amar…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.