Ela está gorda

Estava gorda e feliz. Tudo bem. Muita gente está gorda e feliz e isso parece normal. Mas não pra ela. Sempre correu atrás da balança de maneira maluca.

Já teve doença por comer de menos ou até vomitar pra não aumentar os quilos. E, agora , ali estava ela. Gorda e feliz. Quem diria?

Entrou na terapia muito cedo, logo na adolescência. Por causa da bulimia. E tratou por tanto tempo que acabou se desprendendo de seus traumas.

Ah! Vamos falar dos traumas. Bem nova, sua mãe insistia que comia demais. Repetia insanamente quanto aquilo era errado. E que não podia comer tanto. Quem vai olhar pra você? Vai ficar obesa. Vai ficar obesa. E tinha pânico de ficar obesa.

Agora não estava obesa. Estava gordinha. Daquele tipo que você não sabe se está grávida ou gorda. Do tipo tamanho gg. Mas independente do tamanho não se sentia assim.

Talvez fosse a felicidade. Que não poderia ser maior. Era amada. Encontrou o amor da sua vida. E ali se encaixava. Amor do tamanho certo. Ele olhava pra ela e a enxergava linda. Sempre linda. O melhor espelho da vida só pode vir daí.

Nada escapa aos olhos amáveis. O cabelo cortado. O sorriso triste. A unha mal cortada. Alguém que te enxerga e entende. Entende grandiosamente. De onde só vem o querer bem. E por isso até a crítica afaga.

Todo mundo deveria poder contar com olhos amáveis. E ser feliz assim.