Dolorosa verdade

Dia 05/02/18, estávamos na casa do nosso amigo Will que fica a três blocos da sua casa, rindo e brincando de pergunta e resposta num grupo de WhatsApp onde 90% das pessoas nenhum de nós conhecíamos. 23h a gente decide ir embora, faziam 2 meses desde o nosso primeiro encontro e alguns dias que a gente estava namorando.

Nunca gostei de segurar sua mão em público, tinha medo, e não me sentia muito confortável, mas não naquele dia. No caminho de volta pra sua casa eu segurei a sua mão, eu realmente estava gostando de você e queria desfrutar daquele momento demonstrando afeto e carinho por você, quando de repente algo engraçado aconteceu, eu fiquei excitado com o toque da sua mão na minha. Te contei e riamos enquanto caia uns chuviscos na rua, ainda de mão dadas seguimos rindo de toda a situação, você me abraçou e falou: “ É por isso que eu te amo”.

Minha reação? Continuei caminhando e rindo, como se o que foi dito não tivesse sido nada demais… Era realmente o momento perfeito pra nossa primeira troca de “eu te amo”, mas eu não amava. Pra mim amar é algo muito forte. Isso te deixou abalado, mas eu sabia o que eu sentia, e não era amar, nunca foi.