Coaching & Happier: a eterna busca pela felicidade

Como você poderia definir felicidade?

O que felicidade significa pra você?

Sim, esse é um texto de auto-ajuda. (na verdade, não sei por que as pessoas se sentem tão ofendidas por textos de auto-ajuda, enfim…)

Vou contar um pouco da experiência que eu tenho tido com Coaching e dos devaneios tidos através do livro Happier.

Vamos começar pelo Coaching =)

Sempre tive problemas com foco. Sou o tipo de pessoa que quer fazer tudo ao mesmo tempo e acaba se complicando no final.

Foi aí que eu resolvi procurar um Coach pra me ajudar com esse problema de foco. (para saber mais sobre coaching).

Na primeira sessão já cheguei com “as soluções”: preciso ter mais foco! mas ao realizar as dinâmicas vi que tinham outras esferas da minha vida que precisavam de cuidados.

A roda da vida é uma forma sensacional de visualizar todas as esferas que te envolvem e influenciam na sua vida. Foi aqui que percebi que foco era apenas um dos resultados de conflitos em outras áreas. E aí eu comecei a entender o que estava me deixando tão triste.

As próximas dinâmicas envolveram Valores, Sonhos, Crenças e aqui eu percebi o quanto é difícil externar essas coisas subjetivas que estão em algum lugar dentro de nós.

Qual é o seu sonho? Todo mundo tem uma resposta para essa pergunta.

Em quanto tempo pretende realizá-lo? Essa aqui é mais complicada.

Quais atitudes você está tomando para torná-lo real? Ops, esse ponto é crítico…

É isso que nos falta: AÇÃO!

O legal do Coaching são as metas, não adianta ter um sonho e não lutar por ele.

No final das contas tudo que fazemos é em busca da felicidade, mas temos que agir.

O Coaching tem me ajudado nisso, descrever metas visando alcançar meus sonhos, e só de saber que eu estou indo encontrá-los, já me sinto outra pessoa. =)

Happier =)

Navegando pela internet encontrei esse texto do André Farias e resolvi comprar o livro citado.

Sim, é um livro de auto-ajuda, mas não daquele tipo “5 passos para felicidade! garantido!” ou “50 coisas que você precisa fazer para ser feliz”.

O Dr e Professor Tal Ben-Shahar combinou ciência, pesquisa, auto-ajuda, e espiritualidade para “ensinar” as pessoas a serem mais felizes.

BUT

Não adianta ler livros ou participar de workshops se você não trabalhar para romper as barreiras internas e externas.

Como já citei no início, nós vivemos em função de procurar a felicidade.

From happy to happier:

  • Eu sou feliz?
  • Sim ou Não?
  • Essa pergunta traz uma ideia de um fim de processo, fim da busca e geralmente causa frustração;

Agora, vejam como a conotação muda:

  • Como posso me tornar feliz?
  • Contínuo e infinito
  • Felicidade é um recurso ilimitado, tornar-se feliz deve ser perseguido ao longo da vida!

The Hamburger Model (os 4 arquétipos)

No livro, o Dr Tal fala de 4 arquétipos (são arquétipos e não pessoas! geralmente as pessoas flutuam entre um e outro).

1. Rato Corredor: vê a felicidade sempre no futuro. “Quando eu conseguir _________ (complete aqui), serei feliz”. É o tipo de pessoa que só pensa no destino final e não aproveita a paisagem da viagem. Quer sempre chegar aos finalmentes.

2. Hedonista: “escravo do presente”. Só se preocupa com o hoje e agora. Não tem metas nem objetivo de vida. Acredita estar aproveitando a vida ao máximo. Não se preocupa com as consequências das suas ações. Esse estilo de vida leva ao tédio e falta de significado a longo prazo.

3. Niilista: “escravo do passado”. Perdeu a razão de viver, desistiu da jornada e do destino.

4. Feliz: Seu objetivo é um destino mas também aproveita a paisagem. Ambos tem valor! Vive o presente e se preocupa com o futuro!

Faça esse exercício: em qual arquétipo você se encontra hoje? Já passei por todos eles e estou caminhando pro Feliz!

Princípios que te ajudam numa vida feliz:

  • Crie rituais:

Mudar comportamentos é difícil, muito difícil! Por isso construir rituais pode te ajudar!

Criar rituais requer definir comportamentos precisos e “tempo” de execução!

Por exemplo:

Higiene é importante, por isso temos o hábito de escovar os dentes depois das refeições. Primeiro foi um ritual e depois passou a ser um hábito!

Crie rituais de coisas que você precisa introduzir em sua vida: meditar, assistir um filme duas vezes por semana, ler por uma hora todos os dias; e que te ajudariam a ser mais feliz.

“Somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um feito, mas um hábito.”

Aristóteles (Will Durant, The Story of Philosophy)

Rituais X Espontaneidade e Criatividade

Algumas pessoas acham que rituais vão contra a espontaneidade da vida. A questão não é roteirizar a vida, mas se existe uma atividade importante que contribui para sua felicidade é importante definir esse ritual para que as outras atividades do dia a dia não a sobreponham.

  • Expressar Gratidão:

Escreva 5 coisas pelas quais você é grato e enjoy your life!

Expressar gratidão traz bem estar físico e emocional!

Tenho feito o exercício, todos os dias antes de dormir, de citar essas 5 coisas pelas quais sou grata, e tenho descoberto muitas outras mais!

  • Faça o que você gosta de fazer:

Siga seu coração!

Nada mais a declarar =)

  • Encontre seu ponto de equilíbrio:

O importante é encontrar seu ponto de equilíbrio entre a zona de conforto e a zona de pânico.

Aproveito para linkar um texto meu sobre o Workshop Sonhadores que querem realizar que eu fiz em 2013 com a Nathalie Trutmann.

Seguem mais dois exercícios interessantes que foram passados nesse workshop:

- Já pensou como seria sua festa de 90 anos? Quem estaria lá? Que discurso você faria? Sua vida terá realmente valido a pena? É uma boa pensar nisso e avaliar o quanto o seu presente pode influenciar no seu futuro.

- Que tal escrever uma carta para você do futuro? Já que não existem máquinas que nos permitam navegar na linha do tempo, é uma boa pensar no que você quer alcançar e escrever uma carta do seu eu presente para seu eu futuro de forma que ele não esqueça o caminho que percorreu até lá. (assista o vídeo abaixo onde o ator Dan Stulbach lê carta que escreveu para si mesmo anos atrás antes da fama).

E…

don’t worry be happy♪♪♪

** texto escrito em Junho/2014 no Blog antigo