Você (Desabafo pt.I)

Você me escolheu, me conheceu, provou de mim a mais pura e triste realidade que uma mulher de trinta anos enfrenta: a insegurança.

Nasci predestinada a não saber quem sou. Não tenho história e nem DNA perpetuado. Sou única. Tao única de uma forma que já estava me acostumando com a solidão.

Em meio a aplicativos, pessoas perdidas e muita loucura na minha cabeça você me apareceu. Sim, eu relatei a ter sua presença na minha vida. Porque tinha o receio que toda pessoa que já se decepcionou passou, me envolver.

Foram dias. Poucos. Discussões. Todas por minha causa, segundo voce. Dentre esses dias você nunca assumiu erros, se achava acima de todo o universo. Eu já nem te considerava humano, apenas algo programado a dar errado.

Um encontro. Um olhar desconfiado. Uma incerteza. Bingo! Tinha tudo para dar errado. E deu! Mais nos dois lutamos contra nossos próprios demônios internos. Só que o meu, joga limpo. Enquanto o seu escrotiza a vida de uma forma avassaladora.

Nunca tive intensão ruim em relacao a você. Sempre fui Clara com meus sentimento. Apenas errada como sempre, aquela insegura que ama demais o desconhecido por ter sido aceita como é.

Você tem sua parcela de culpa por tudo ter dado errado, espero que um dia reconheça. Eu sei que errei. Errei por ser demais, por ser demasiadamente Eu, nas veias da insegurança e do desespero de ter algo certo e concreto na minha vida mas com um prazo longo de teste drive.

Eu nao tenho tempo. Meu relógio biológico grita. Me atrasei demais no banco de horas da vida com coisas infundadas, tanto que desisti do amor. Na realidade, nem sei se cheguei a te amar. Pra você ver, não amei. Não deu tempo.

Eu não deixei. Você não deixou. A sua colossal auto suficiência esbravejou a insegurança de novamente dar errado algo que seria certo. Puro medo de rever uma sessão da tarde do seu passado de marionete de mercearias. Mais a nova protagonista da sua vida sempre deixou tudo claro, você não soube ler as entrelinhas dela. Apenas a rotulou.

Do que adiantou beijos, suspiros, olhares e certezas apaixonadas suas, se você deixou escapar alguem que saberia ser sua parceira de vida da forma mais pura de gostar de alguem. De nada adiantou ser a delícia de seus sonhos. De nada adiantou dizer que gostava.

Acabou tudo. Acabou envolvimento. Suas palavras, lembra?

Quando o sentimento é verdadeiro a gente não dúvida e nem exige mudanças. A gente enfrenta como eu estava enfrentando meus demônios por você.

Mas você foi um bálsamo bom. Uma lembrança Boa que me deixou saudades e um lânguido olhar ao horizonte por não ter dado certo.

Não sei se te espero. Só sei que to seguindo. As vezes com visão turva, mais sigo sabe. Você conseguiu me mostra o melhor de mim e conhecer de forma real o meu pior. Hoje não tenho medo de enfrentar meus demonios, aprendi a conviver com eles.

Deixo aqui registrado a saudade do teu abraço que me fazia perder o medo do mundo inteiro. Você me fez bem, mas agora eu preciso ir. Pois agora eu vou me refazer longe de você.

Saudades. É o que sinto.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.