Histórias que não cabem em um CV

Olá, meu nome é Samir e eu sou um “aprendedor”. Filho de imigrante sírio, passei minha infância dentro de uma tradicional “lojinha” árabe, onde aprendi a importância do empreendedorismo. Vi o poder de transformação na vida da minha família, que começou do zero e, com muita resiliência e trabalho, pode me proporcionar condições para chegar onde estou. Pautado nesse caminho empreendedor é que tenho tomado todas as decisões importantes na minha vida.

Saí de uma escola em um pequeno bairro da região metropolitana de Curitiba, aprovado para estudar em um dos Ensino Médios mais conceituados do país — a Escola Técnica da Universidade Federal do Paraná, onde me formei como técnico contábil. Sendo extremamente tímido e inseguro, ali tive meu primeiro contato com literaturas sobre desenvolvimento pessoal. Consciente da minha dificuldade de lidar com público, comecei então a praticar dança de salão, hobby que me transformou e que considero um divisor de águas na construção da minha personalidade.

Sou o primeiro engenheiro da minha família. Escolhi Engenharia de Produção na UFPR por ser um curso mais generalista, podendo assim balancear minha facilidade com exatas e meu interesse por gestão de pessoas. Foi a melhor escolha que já fiz: conheci muita gente com o mesmo mindset de crescimento que eu e, com eles, pude desenvolver minhas habilidades interpessoais, especialmente durante meu período de trabalhos voluntários de AIESEC e Empresa Jr. — experiências essas que foram muito agregadoras, inclusive me permitiram desenvolver as capacidades de trabalhar em equipe e de me comunicar com o público.

Long neck karen village - Chiang Mai, Tailândia

Morei um ano e meio em Melbourne (Austrália), graças a conquista de uma bolsa de estudos do programa ‘Ciência Sem Fronteiras’. Além de cursar Negócios e Logística pela RMIT, tive uma experiência cultural riquíssima, na qual convivi e aprendi com diversas culturas e nacionalidades. Sozinho, com uma mochila nas costas, conheci 13 países, passeei de tuk-tuk pelo caos das ruas Bangkok e vivi o congelante inverno de Amsterdam. Fiz amigos de todos os cantos do mundo. Construí hábitos que tenho certeza que levarei para minha vida. Aprendi a cozinhar e me alimentar de maneira mais saudável. Criei rotinas de atividades físicas como musculação, slack-line e, principalmente, meditação— prática que considero uma das mais importantes para quem busca desenvolvimento pessoal.

Slack-line: meditação em movimento

No final da minha graduação estagiei em uma das maiores empresas do país (BRF) durante um ano. Apesar da chance de ser efetivado pela companhia, decidi encerrar meu contrato para participar ativamente do negócio da minha família, com a expectativa de otimizar os processos, reduzindo custos e melhorando o atendimento ao cliente. Porém esse projeto foi uma grande frustração e nada saiu como esperado: descobri que aplicar minhas ideias inovadoras no negócio da minha família seria algo impossível devido a cultura forte do “não se mexe em time que tá ganhando”.

Sou conhecido por ser crítico, por bater de frente com o senso comum. Sou observador e amo pensar em soluções para os problemas que vejo à minha volta. Questionei professores e coordenadores do meu curso na minha graduação, mesmo isso podendo custar minha aprovação em algumas matérias. Me arrisquei denunciando fiscais de partido fazendo boca de urna, mesmo isso podendo custar (em uma cidade pequena) minha integridade física. Tento mudar o mundo começando por onde eu moro, sendo coerente com meus valores e disposto a correr riscos, se necessário. Quem convive comigo sabe que sou um aspirante a empreendedor. Sou apaixonado pelo assunto e sempre marco presença em eventos relacionados ao mundo das startups. Conversas sobre empreendedorismo e inovação são uma constante em mesas de bar com meus amigos.

Amo aprender sobre assuntos diferentes e ter opinião formada sobre os mais diversos temas. Gosto de debater com propriedade assuntos polêmicos com gente que pensa diferente de mim, fugindo de achismos e discussões superficiais. Livros, TED Talks, documentários e podcasts fazem parte da minha rotina diária. Sou apaixonado por tecnologia e inovação e acompanho tudo o que acontece nesse meio, especialmente sobre grandes personalidades, como Elon Musk, Jeff Bezos e Tim Ferriss. Apesar da minha formação em engenharia, tenho muito interesse por humanidades, filosofia e questionamentos sobre o futuro da humanidade frente à inteligência artificial, destacando principalmente os trabalhos dos autores Yuval Noah Harari e Sam Harris.

“Intelligence is not consciousness. Intelligence is the ability to solve problems. Consciousness is the ability to feel things.” — Yuval Harari

Hoje sigo querendo aprender cada vez mais sobre tudo que contei até aqui, sempre com a mente aberta a novas experiências e opiniões. Estou focado em crescer, superar minhas limitações e explorar minhas qualidades e paixões. Quero fazer parte de algo maior do que eu. Deixar um legado para as futuras gerações. Ser lembrado como alguém que fez a diferença na vida das pessoas e transmitiu algo positivo. Gerar valor e ser valorizado por isso. Quero trabalhar em uma empresa que ofereça um ambiente que promova esse crescimento; que abrace novas tecnologias e as use para melhorar a vida das pessoas; que entenda a importância de inovar continuamente e que promova isso no dia a dia. Por isso quero fazer parte da Johnson & Johnson.