Consciência Escrava

Lutero, os custos e a consciência

picure by Kaley Dykstra

“Corno Vossa Majestade e Vossas Altezas exigem de mim uma resposta simples, quero dar uma tal sem chifres e dentes[1]. Caso não for convencido por testemunhos da Escritura e por motivos racionais evidentes — pois não creio nem no Papa nem nos Concílios, pois é evidente que erraram muitas vezes e se contradisseram — , estou convencido, pelas passagens da Sagrada Escritura que mencionei, e minha consciência está presa à Palavra de Deus e não posso, nem quero, revogar qualquer coisa, pois não é seguro, nem honesto, agir contra a consciência. De outra maneira não posso, aqui estou, que Deus me ajude, amém.”[2]

Martinho Lutero

A Reforma Protestante faz 500 anos, finalmente, e a pergunta que se faz é: “E daí? O que isso tem a ver comigo?”. Há muito! Os tempos mudam, mas duas coisas não mudam: Deus não muda e o homem também não. Se por um lado Deus é bom, poderoso, santo, imutável, etc, o homem é o oposto em sua essência e tende à deformação. A reforma é necessária sim, mas avalie os custos:

Lutero, em 26 maio de 1521 foi sentenciado ao banimento da igreja romana pelo Imperador Carlos V. Homens e mulheres do império não poderiam receber, esconder, alimentar ou ajudar Lutero em nenhuma circunstância. Também não deveriam segui-lo, apoiá-lo e nem mesmo encorajá-lo, ao contrário, se o encontrassem, deveriam entregar Lutero às autoridades.

Todo este “inferno” era previsto e sabido por Lutero, no entanto, sua mente, cativa e obediente à Escritura, o firmou ante às duras realidades sociais que enfrentaria. Mas o que é o mundo quando a mente está diante da graça de Deus?

“A igreja é reformada e está sendo sempre reformada”, bem disseram os reformadores. O que devemos pensar 500 anos depois da Reforma é que a igreja brasileira precisa de uma consciência escrava única e tão somente da Escritura. Toda transformação social verdadeira e benéfica à humanidade surge primeiro dentro de uma realidade espiritual, na igreja de Cristo! Assim foi em Israel, Alemanha, Genebra, Estados Unidos e desejamos que seja aqui também.

A mente escrava da Palavra de Lutero transformou a Alemanha, a Europa, o Mundo para a glória de Deus, mas não sem custos altos e uma dependência única. Que Deus nos ajude.

Pb. Samir Mesquita de Moraes

[1] “Sem chifres ou dentes”: coro escolástico para expressar uma sentença clara, simples e com um só sentido.

[2] Trecho final da resposta de Martinho Lutero na Dieta de Worms