O que é melhor do que viajar ? 💼

Durante minhas poucas viagens eu escuto pessoas dizendo: “Você está certo, tem que aproveitar a vida enquanto pode” ou “Ai que inveja, queria viajar também. Isso que é viver”. Confesso que a princípio isso me soava perfeitamente normal, visto que a maioria das pessoas associam viagens com o férias ou algo do tipo, mas algo sobre isso começou a me incomodar ultimamente.


Uma das minhas paixões é conhecer novos lugares, conversar com pessoas de outras culturas, explorar sentimentos ainda não descobertos e descobrir coisas novas que nunca passariam por minha mente limitada.

Pois bem, vamos por partes. Eu sou jovem, tenho energia para encarar alguns desafios que provavelmente daqui a alguns anos não terei tanto estusiasmo nem condições para enfrentar. Também concordo plenamente que a vida precisa ser aproveitada ao máximo e que cada segundo vale ouro. Esses são dois bons motivos para eu pegar a mochila, colocar nas costas e sair me aventurando poraí. No entanto, podem ser bons motivos para eu me preocupar em usar minha energia para conseguir um bom emprego, me preparar para ter uma família e me dedicar a fazer a diferença enquanto vivo nessa terra.

Em meio a esse ambiente de backpackers o qual me inseri tenho percebido uma certa idolatria ou paixão excessiva no simples fato de estar longe de casa vivendo sua própria vida, fazendo o que bem entender e indo para onde o vento soprar mais forte ou viajando pelo simples fato de viajar. Tudo isso parece muito lindo e transmite um ar de liberdade que todos valorizamos não é?. O contraponto aparece quando nos deparamos com um sentimento egoísta de supervalorização dos próprios prazeres e ideais, onde os fins justificam os meios e há um certo desprezo com os sentimentos dos familiares, com as necessidades da sua própria comunidade e com a sua potencialidade de influenciar positivamente o lugar onde você foi inserido.

Não estou me aposentando na carreira de backpacker mas estou escrevendo essas reflexões apenas para reforçar a mim mesmo os verdadeiros objetivos em explorar new experiences. Não viajo apenas para encher minha mochila de histórias e meu Instagram de belas paisagens. Quero sim ter uma bagagem bem grande mas para poder compartilhar e utilizar para um objetivo maior. Quando temos contato com outras culturas, quando conhecemos pessoas com diferentes opiniões e costumes, quando colocamos nossos pés em terras estrangeiras, quando vislumbramos paisagens exuberantes e inspiramos novos ares estamos ampliando nossos horizontes. Isso abre portas e cria oportunidades para alcançar objetivos ainda maiores, influenciar ainda mais pessoas e enxergar o céu ainda mais azul.

Não vou abrir mão de investir tempo e esforço para ser bem sucedido em minha carreira e construir uma família mas eu sinto como se Deus utilizasse tudo o que está ao seu alcance para que eu possa ser edificado e, assim, edificar a vida de outros. Como tudo está ao alcance dele, não tenho dúvidas de que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que nele confiam. Há tempo para ser edificado e tempo para edificar. Viajar não é tudo. O que realmente importa são as lições que você constantemente aprende e que um dia estará constantemente ensinado.

Este sou eu falando a mim mesmo e compartilhando caso sirva como lição.