Teu texto me lembrou demais de um outro texto que reli recentemente: Prisão Verdade, do Alex…
Tales Gubes
51

Eu fiquei me questionando, depois de ler o seu texto, o quanto de nossa identidade é imposto, ainda que de forma sutil; cresci torcendo para o Flamengo por ter visto meu pai fazer o mesmo desde sempre, me considerando católico por ter sido batizado quando ainda nem sabia falar; e como esses “valores” são uma armadilha fácil para a incompreensão (você é vascaíno, eu te odeio, você desrespeita a igreja, eu te odeio…).

E mantendo o ritmo, esses são os valores que eu já identifiquei, mas quem sabe quantos outros ainda me fazem ser intolerante, e eu ainda não sei que não sei?

Like what you read? Give Samuel de Almeida a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.