Alguém aí conhece a Dona Felicidade?

Por: Samuel Rios 14.05.2008 / 20.09.2014

Em uma manhã de inverno, uma garotinha que vinha caminhando sozinha a muitos dias, avista uma senhora conduzindo seu gado em suas terras, ela se aproximou dessa senhora e perguntou:

_ A senhora conhece a dona Felicidade? A senhora já muito idosa quase surda lhe respondeu:

_ Só vou te dizer com uma condição! Exclamou a senhora.

_ Se você me ajudar a reunir e conduzir o gado de volta ao curral.

A menina mesmo cançada da longa jornada que enfrentara não pensou duas vezes e disse que a ajudaria.

Seguiam juntas de volta iam passando por um lindo terreno e por varias casinhas feias e velhas que estavam abandonadas elas chegaram até o curral, e perto dali a menina também avistou a casa dessa senhora, que assim como as outras casas que tinha visto era feia e velha. a menina já muito cançada lhe disse:

_ Eu te ajudei a trazer o gado… Agora gostaria de saber sobre minha resposta! E ela mais uma vez perguntou:

A Senhora conhece a Dona Felicidade?

_ A senhora respirou profundamente, e soltando o ar respondeu:

_ É justo, você me ajudou agora eu te ajudo. E lhe disse: _ Não… Eu não conheço a Dona Felicidade.

A menina com uma cara de decepção disse:

_ Porque a Senhora me fez vir até aqui sabendo que não ia conseguir responder minha pergunta?

A senhora respondeu :

_ Me desculpe, mais eu sou assim, Meu nome é Condição! Disse ela e completou. Eu só faço alguma coisa ou respondo a uma pergunta com uma condição.

A menina ainda aborrecida aceitou mais disse: Tudo bem se é como a senhora é! Pois ela sabia que a condição é sempre assim, ela só te favorecerá se ela também for favorecida, mesmo que no final só ela seja beneficiada com a situação em questão.

A senhora já com seu folego recuperado perguntou:

_ Qual é o seu nome? A menina com cara de poucos amigos encheu o peito de ar respondeu:

_ Eu me chamo Persistência.

Dona Condição vendo que a jovem a ajudara na dura tarefa de levar o gado de volta,mesmo estando viajando a vários dias disse a ela:

_ No caminho até aqui passamos por algumas casas, perto dessas casas há um caminho que te levará até a cidade, lá na cidade moram muitas pessoas e deve ter alguém que conheça a dona Felicidade.

Então Persistência abriu um sorriso e agradecendo a dona Condição pela informação voltou até as casinhas abandonadas para encontrar o caminho… E seguiu bem depressa, a cada passo que dava se sentia mais confiante e determinada a chegar na cidade.

Após caminhar por algum tempo chegou lá… E viu que a cidade não era tão diferente das casas que havia visto no caminho até a casa de dona Condição, caminhando mais um pouco chegou ao centro da pequena cidade e percebeu que havia uma aglomeração de pessoas e elas estavam discutindo sobre como o senhor Trabalho estava mais pesado.

Ela não querendo perder a oportunidade, pois ali estavam quase todos os moradores daquela cidade, entrou no meio deles e bem alto Perguntou:

_ Algum de vocês conhece a Dona Felicidade?

Aquelas pessoas sem entender a pergunta se olharam e sussuravam umas para as outras, quem poderia ser aquela jovem que lhes fazia tal pergunta, depois de alguns muito segundos Persistência perguntou novamente:

_ Alguém dentre vocês conhece a dona Felicidade?

Eles ainda meio atonitos responderam:

Não!

A menina surpresa com a resposta fitou seus olhos neles e disse:

_Será que ninguém conhece a dona Felicidade?

Todos que estavam ali só a conheciam de ouvir falar mais não a conheciam de verdade e nem sabiam onde morava, e explicaram isso a ela. Persistência muito abalada com aquela resposta que veio como um balde de água fria, foi caminhando lentamente a um banco que estava perto dela, logo que se sentou, apareceu uma moça que ficou ao seu lado e não saía, Persistência já um pouco incomodada perguntou:

_Qual seu nome? A moça respondeu:

_ Meu nome é Tristeza.

Persistência logo entendeu que aquilo era porque ela estava com tristeza em seu coração. Persistência vendo que não adiantaria nada ficar sentada ali seguiu pelo caminho de volta, e em certo ponto ela reparou em uma placa que dizia o nome daquele caminho, ele se chamava Jesus… Persistencia não entendia porque dariam esse nome a um caminho, foi nesse momento que uma criança que brincava a beira desse caminho se levantou e chegou pertinho do ouvido de Persistência e disse:

Ele se chama Jesus, pois é o caminho que leva para a casa da dona Felicidade. Pesistência, perguntou o nome dela e ela respondeu:

_Eu me chamo Verdade

Persistência continuou o andando e deixou a Verdade para trás pois não tinha entendido como ela tentou ajuda-la porque a Tristeza continuava ao seu lado. E também é preciso entender que a Persistência aliada a Tristeza faz com que não escutemos a Verdade, e acabamos querendo lutar com nossas proprias forças quando sabemos que não podemos fazer nada por nós mesmos, Mas a Tristeza nos prende, quando nos aliamos a ela e não nos permitimos entender que a Verdade quer nos libertar.

E ssim Persistência e Tristeza iam andando sem saber muito bem para onde, simplesmente seguiam pelo caminho, talvez até na esperança de saber onde ele acabaria, e se ele as levaria para algum lugar melhor ou se apenas as tiraria daquela cidade.. Após terem caminhado por um tempo, viram uma casa muito velha que caía aos pedaços e assim que passavam na frente dessa casa uma outra moça passou por elas correndo e gritou:

_ Tristeza é melhor você ir embora se não…

Quando as duas ouviram isso procuravam um lugar para se esconder, mais Tristeza correu de volta por onde elas vieram.

O moça que passará correndo se aproximou de Persistência e disse:

Como vai? Ela ainda muito assustada respondeu :

Quem é você?

A moça disse: _ Meu nome é Alegria!

Então Persistência disse:Por que você ameaçou A Tristeza?

Alegria respondeu: Faço isso sempre, porque eu não gosto dela e quando ela está do lado de alguém eu a espanto!

Então Persistência não perdeu tempo e logo perguntou:

_Você conhece a Dona Felicidade?

Alegria respondeu: _Ela é minha irmã!

Persistência disse: _Serio?… Ao mesmo tempo Persistencia pensava, é bom de mais para ser verdade, como pode ser possivel, eu estava no centro da cidade e ninguém me falou de Alegria, e que ela era irmã de Dona Felicidade… Será que eles também não conhecem a Alegria? Passados alguns poucos segundou em que Persistência se deixou levar nesses pensamentos respondeu Alegria:

_Sim!!

Persistência falou:

_Me leve até ela por favor eu preciso encontra-la!

Alegria falou:

_Tudo bem, mais o caminho é longo e muito difícil.

Persistência sem entender o que realmente queria dizer aquilo respondeu:

_ Não tem problema, eu me chamo Persistência eu vou até o fim!

E elas seguiram pelo caminho que Alegria mostrava, não tendo andado muito mais que alguns passos apareceram algumas pessoas que as seguravam, Persistência não entendia o que estava acontecendo e quanto mais lutava mais essas pessoas as seguravam e ia ficando cada vez mais complicado de andar por causa do peso das pessoas, pois elas se seguravam umas as outras como se as estivessem puxando para trás.

Persistência parou de tentar andar e quase sem folêgo perguntou:

_Quem são vocês e o que querem?

Um por um eles foram se revelando, e lá estavam a Dor , o Sofrimento a Angustia a Tristeza a Solidão, o Medo, a Fraqueza e a Dificuldade, e havia também duas pessoas que não as seguravam mais insentivavam as outras, eram o Tempo e a Morte. O Tempo tinha aparência de um homem,mais estanhamente ao olha-lo podia se ver qualquer forma,um longo caminho,um deserto,um oceano, essa estranha figura carregava consigo um relogio enorme que não se mexia, já a Morte não era possivel ver seu rosto mais era possivel sentir sua presença e ver suas mãos que já não tinham carne nem pele apenas ossos, diferente da imagem que estamos acostumados a ver de um esqueleto com capa preta e foice, essa imagem era diferente, não menos assustadora,mais era possivel encara-la sem temer. Persistência perguntou:

_Porque vocês estão nos segurando? Eles responderam:

_ porque temos que fazer com que a persistência não encontre a felicidade. Sem entender aquilo e com seu corpo fraco já quase sem forças fez outra pergunta.

_ Mais por quê? Qual o problema de me encontrar com a Felicidade?

Eles responderam:

_Porque fomos criados para fazer com que todos lutem para encontrá-la, e a única que sabemos que vai conseguir é você, então nós nos juntamos para que você não consiga!

Persistência parou por um milésimo de segundo e viu sua vida passar por diante de seus olhos, pensou sobre tudo que já tinha vivido, pensou no seu passado, pensou em quanto tempo tinha gasto tentando chegar no seu objetivo,e que aquele momento seria o fim, aquele poderia ser o ultimo suspiro de seu sonho e ele seria entregue nas mãos da morte,e ao mesmo tempo ela pensava no que eles falavam, e tentando organizar seus sentimentos, pois dentro dela havia um conflito, um misto de desespero e raiva, por mais que lutasse ela sentia sua vida sendo levada,sentia que não teria forças para lutar,já não existia esperança.

E nessa hora para poder achar uma saída para aquela situação em que ela nunca vivera

fechou os seus olhos, num ato de entrega e desistencia,foi aí que ouviu uma voz, que ia ficando cada vez mais alta e mais perto, e ela dizia:

_ Persistência, Persistência, Força! Vem comigo ver a Dona Felicidade!

Persistência abriu seus olhos e viu uma senhora com uma expressão suave,com um lindo sorrizo nos labios que observava toda aquela situação de longe,mais ao ver que ela se entregara aos seus conflitos resolveu ajuda-la a supera-los. Aquela senhora era a dona Fé. Persistencia respondeu a ela dizendo:

_ Não posso! Todos estão me segurando não consigo me mexer!

Dona Fé certa de sua intenção de ajuda-la continuou:

_ Vem comigo.! Então Persistencia, respirou profundamente e reuniu todas as forças que podia e como se pudesse controlar para onde enviaria aquela força que reuniu enviou para as as suas pernas que com muita dificuldade conseguiram dar alguns timidos passos mas todos continuavam a segurar e agora também seguravam a Dona Fé . Depois de um longo trajeto chegaram até onde a Dona felicidade morava e de der repente todos que estavam as segurando as soltaram e saíram correndo de volta por onde eles vieram. Sem entender o que tinha acontecido Persistência olhou para os lados tentando achar o que poderia ter espantado os que estavam impedindo de chegar,foi quando ela viu uma casa enorme que brilhava ela era feita de ouro puro e pedras preciosas, seu nome era Vida, nesse instante Persistêcia perdeu o folêlo de tanta emoção por estar vendo auqela imagem tão linda…

Depois de recuperar o folego e alguma força, Persistência sentiu falta de alguém. E olhou para um lado e para outro, então lembrou e se perguntou:

_ Cadê a Alegria?

Mais ela não estava ali, ela tinha ido por outro caminho. Persistência e Dona Fé foram chegando mais perto daquela casa e bateram na porta, aguardando alguns poucos instantes a porta se abriu e apareceu uma linda senhora com um sorrizo que faria qualquer pessoa que enfrentara a situação que Persistencia e Fé passaram recuperar suas forças. Elas foram convidadas a entrar e lá estão até hoje. Porque na casa chamada Vida mora a dona Felicidade.

Fim.

Lição da História

Muitos não conhecem a Felicidade mais já ouviram falar. É nessas horas que a tristeza pode se jutar a nós, e muitas vezes não damos ouvido a verdade, mais ai entramos no caminho certo.

A alegria pode tentar levar você até a felicidade, mais alegria é passageira e some em momentos que você mais precisa dela, e saiba que o tempo e a morte vão tentar te afastar e te segurar para que você e eu não alcancemos nossos objetivos, poderemos enfrentar grandes conflitos ,Mais aí aparece a fé ,que nos insentiva a continuar e nos dá força para lutar e é a única que pode se juntar com a persistência e encontrar na vida a felicidade!

E você… Conhece a Dona Felicidade?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.