Morte no metrô e como contribuímos com a LGBTFobia.
Bruno Ribeiro
62

Ótimo Texto Bruno! Parabéns!

A gente avança mais nunca sai da mesma chave. Desconstrução é um processo cotidiano, não é de um dia para o outro. Sempre quando temos privilégios, não reconhecemos eles, só reconhecemos quando eles nos trazem benefícios.

As pessoas são como as palavras, só fazem sentido, se estiverem juntas. Acredito que somos feitos de retalhos, pedacinhos de cada vida que passa pela nossa, e penso que a vida é feita assim mesmo, de pedaços de outras gentes que vão se tornando parte da gente também. Mais humanidade para 2017!

Suuuuper abraço!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.