Coisas que aprendi sobre criatividade

Do pouco que aprendi sobre criatividade, uma coisa é certa: o clichê do 99% (trans)piração e 1% inspiração nunca foi tão certo. Pra criar, tem que ralar. E como é importante criar. Não falo somente para quem trabalha com comunicação: a criatividade é ferramenta para resolver problemas em todas as áreas. E, num cenário em que toda atividade parece estar sendo substituída por um aplicativo, o criativo acaba conquistando uma ~vantagem competitiva~ da qual ninguém quer abrir mão.

Na Singularity University, parceria da Nasa com o Google, a criatividade é considerada uma das ferramentas que vão impactar o futuro — junto de grandes e novas tecnologias. Eis o que aprendi sobre essa vida de ter ideias.


Não é somente um dom de Deus. Amém!

Já ouvi muitos profissionais dizerem que “não nasceram para dar ideias”. Calma, jovem, senta aqui, vamo conversar. A criatividade pode até vir com mais facilidade para alguns, mas definitivamente não cai do céu. Mesmo para quem tem facilidade, a prática é essencial. E sim, quem não tem esse ~dom de Deus~ pode persistir no brainstorm, segurar na mão de Olivetto e seguir em frente. Comece, tente.

Aquela sua ideia genial que ninguém entendeu pode não ser tão genial assim

Triste, né? Aceita, que dói menos. Aquela ideia espetacular, sacada que te fez passar 30 minutos contemplando sua incrível capacidade de criar pode não ser tão boa assim se ninguém entendeu. Se só você, com sua subjetividade e referência de mundo entendeu, tem alguma coisa errada, não? Guarda, fica com ela pra você e vai atrás de outra ideia.

Papel e caneta

Não sei como é para vocês, mas para ter uma ideia, ficar parado em frente ao computador é o que menos ajuda. Papel e caneta são os salvadores na hora em que ou sai a ideia ou racha. E, anotar ideias aleatórias que surgem pode auxiliar num insight lá na frente, para arranjar uma solução totalmente diferente. Vai por mim.

Pensar ao contrário ajuda

Um dos melhores exercícios de criatividade é tentar reverter o pensamento. Pensar no pior cenário e usar o “E se…”. Precisa de uma ideia de ação para crianças? E se rolasse com adultos? Coisas assim podem parecer idiotas, mas ajudam no processo. Ah, falar merda também ajuda. Numa reunião de brainstorm, quantos % do conteúdo você simplesmente jogaria fora? Uns 95%, no mínimo. Mas criatividade também é soma, é quantidade. Com muita coisa, alguma certamente vai prestar.

Combine o que já existe

Todo mundo sabe que referência é tudo. E a criatividade é exatamente combinar tudo que bom que você já viu por aí para inovar. Vale tudo: séries, filmes, propagandas, livros, músicas, situações. Guarde suas referências como quem guarda o último Kinder Ovo do mundo!

Empatia, lembre-se da empatia

Tanto se fala em empatia esses dias, mas não por menos. Essa “capacidade de se ver no lugar do outro” ajuda em tudo na vida, até nos processos criativos. Afinal de contas, como criar — seja uma campanha publicitária, seja uma solução para um problema no trabalho — sem se colocar no lugar de quem vai ver ou testar o resultado da criação? Impossível.

Ficam as dicas!

“You can’t use up creativity. The more you use, the more you have” — Maya Angelou.