Festa surpresa

Um texto brega de quando a minha sobrinha sobreviveu

Tem gente que é calmaria e tem gente que é festa. Não se deixe enganar pelos olhinhos serenos e pela fala cheia de aconchego — Helena pertence ao segundo tipo. Helena é festa.

Mas não é qualquer tipo de festa. É festa surpresa, daquelas que você nem sabia que precisava (e queria) tanto. Daquelas que te enchem de alegria, te emocionam. Helena é como um dia que começa tranquilo e termina com a felicidade da reunião dos familiares, com sorrisos entre quem se ama, com a certeza de que sim, tudo pode ficar bem. Helena é bolo, balão, é casa cheia, é festa surpresa no nosso coração.

Foi assim desde o início. Surpresa! “Tô grávida”. Mas não ia nascer bem. Surpresa! Nasceu. Mas não ia direto pro quarto. Surpresa! Foi pros nossos braços. Não ia falar. Surpresa! “Mama, papa”. Não ia andar. E adivinha? Surpresa! Primeiros passinhos atrapalhados e felizes. É até estranho que um sem número de pessoas ainda tenham ficado boquiabertas quando — surpresa! — Helena não precisa de cirurgia e está curada.

Difícil explicar. A verdade é que tem coisas que não precisam ser entendidas, precisam ser vividas, lembradas e agradecidas. Helena, do alto de seus 1 ano e 2 meses, nos ensina hoje mais lições do que podemos listar. Esperar com fé. Confiar e acreditar. Superar. Agradecer. E, acima de tudo, amar. Quantas Helenas você tem na sua vida? Quantas festas “surpresa” aquecem seu coração? Se Helena pudesse articular umas palavrinhas a mais, com certeza diria: olhe ao lado, agradeça, ame.

E, se você achava que esse seria um texto para derramar muitas lágrimas… Surpresa! Helena é festa, lembra? A nós, só resta sorrir.