Imagem: Internet

Oni Ibejada

"Vam'bora dormir cedo!
Amanhã é dia de correr atrás de doce
!"

Minha infância inteira e início de adolescência foi assim: esperar o ano todinho pro dia 27 de Setembro.

A gente acordava e mal dava tempo pro café. Claudete era, na grande maioria das vezes, a tutora do bonde.

Tinha criança da rua F, da João Alegrete, da rua H, da rua 6. Tinha criança da favela inteira com a gente correndo atrás do carro que passa pagando promessa, criança na fila do Terreiro pro erê entregar o pedaço de bolo, o "naná" e o saquinho de Cosme Damião. 
A gente ia pelo morro todo, esperava na praça do I.A.P.I. Fomos andando por Olaria inteiro e se não fossem as mochilas tão pesadas, a gente conquistava o mundo!

Que saudade boa! 
O terreiro de seu José (ou João? ) organizava a melhor festa que eu já pude participar. Até dinheiro no final da gira, eles jogavam pros erês e pras crianças. 
Isso de religião nem era tão gritante. Lá no morro que eu morei, era tradição.

Mal sabia eu, que chegaria o tempo de ter uma eréia briguenta a quem ofertar jujuba e um erê "toldado" que tem muito a me ensinar.
 
Sou grata por tudo Rosinha e Joãozinho, viva o dia de vocês! Salve a falange da Ibejada 💜

Sanches T.