Eu levo a maior fé em 2016

Em seiscentas e poucas horas nascerá 2016, o ano que envolve muitas interrogações, tem cerca de 2016 previsões bombásticas e que, segundo os astrólogos, será regido pelo Sol, envolvendo o trânsito de Júpiter e Mercúrio, o que evidencia um ano generoso e produtivo, apesar de todas as crises.

Cá entre nós, pressinto que será um ano de emoções intensas, onde nossas atitudes serão testadas a cada novo raiar do dia e a nossa alma ficará mais reluzente, a cada pôr-do-sol.

Diante desse roteiro, eu já me decidi. Não vou deixar que nada atrapalhe a minha atuação, e como teremos a regência do Sol, por analogia, as chances de tudo brilhar com mais intensidade no dia seguinte será grande. Então, já estou me preparando; tudo poderá acontecer de uma hora para outra, como um raio, sem muito tempo para embaçar nas tomadas de decisão.

Mas eu não quero nem saber.

Não vou abrir mão de viver minhas emoções e continuarei aprendendo a lidar com cada uma delas. Também não vou me importar nem um pouco com o que os outros pensam e sim com o que eu desenhei para os meus muitos personagens conviverem em harmonia.

Vou me gostar e me autorrespeitar acima de tudo, correr em prol da sustentação da minha realização ou da possibilidade de buscá-la dentro do meu próprio ser. Nada de repreender sentimentos ou anseios. Vou me declarar sempre que tiver vontade ou necessidade, mesmo que seja simplesmente para o Sol, meu ouvinte de tantos anos e agora em completa evidência com as conjunturas astrais.

E por último, vou focar a câmera imaginária na minha intuição. Mais do que nunca, não vou sacramentar qualquer decisão sem antes alinhar com a minha sabedoria de nascença.

É isso aí, vou seguir o meu coração para ter um 2016 gratificante e realizador.

Vamos juntos?