O Teatro dos vampiros

Porque permitimos que eles entrem em nossas vidas?

Cena do filme ‘Entrevista com o Vampiro’

Na mitologia dos vampiros (não esses que brilham no escuro e cursam o ensino médio pelo resto da vida como nesses filmes teen) eles só podem adentrar nossa casa se forem convidados. Mas quem em sã consciência convidaria um vampiro para sua casa? Por conta disso que os vampiros são extremamente sedutores e com isso conseguem baixar a guarda de suas vítimas. E tudo isso praticamente sem precisar usar a força bruta (não precisa). Quando menos se espera ele esta la, mordendo delicadamente o pescoço que a sua presa expõe sem o menor pudor porque confia completamente nele.

E como todo predador eles irão procurar as caças mais fáceis: aquelas pessoas mais carentes, inocentes e que acreditam na bondade alheia. Prazer, essa sou eu.

Com minha baixa autoestima e minha ânsia em me sentir valorizada pelos outros qualquer sorriso é capaz de me dobrar.

Foi assim que permiti que amizades interesseiras e dois relacionamentos tóxicos entrassem na minha vida. Eles não forçaram a tranca ou pularam o muro. Eu os convidei a entrar.

Não quero com isso isenta-los de culpa. São pessoas vazias que precisam sugar a vida dos outros para se sentirem completas (e nunca irão se satisfazer). Talvez até tenham sido vítimas de outros vampiros no passado.

A questão é que eu preciso confiar mais na minha intuição e no meu taco. Algo sempre parecia errado ou desconfortável nesses relacionamentos. Mas eu me sentia errada em expulsar meus próprios convidados. A gente é criada para agradar os outros antes de nós mesmas e temos um medo brutal da solidão.

Chega disso. Melhor uma casa vazia do que uma casa repleta de monstros. Sou eu que devo preenche-la de coisas boas. E quanto às criaturas vampirescas cabe-lhes o lugar de onde elas vieram: as trevas e o esquecimento. Sem culpa!



Gostou do texto? Se identifica? Deixe um comentário e clique no coração abaixo para recomenda-lo :)