As coisas acontecem no tempo de Deus ou será Deus o próprio tempo?

Nós vivemos correndo contra o tempo, não é? Mas que tempo é esse que é senhor bonito, deus lindo, determinante das decisões, curador de feridas… Mas que tempo é esse que vem pra nos ensinar, que nos marca nas têmporas e que tempo é esse a quem pedimos que leve a tristeza e nos traga a beleza?

E como pode ser o tempo tão determinante se até ele é relativo? Se cabe a dúvida de qual a real medida que faz o tempo, como poderia ele ser um deus?

Como poderia ser então Deus o próprio tempo, se ele não cabe em passado, presente e futuro? Como poderia Deus ser o próprio tempo se não existe nada antes nem depois dele?

Como poderia então ser o tempo de Deus se este não lhe cabe?

Se não se nota aqui a grandeza de Deus, não se nota em nenhum outro canto.

As coisas acontecem quando são determinadas a acontecer, e Deus é e sempre será apenas ele, ele é cada coisa e ao mesmo tempo é todas as coisas. Mas o tempo é efêmero, superficial, condição humana e irracional.

O tempo é relativo, mutável, passageiro.

Deus é único, perfeito e eterno.

Se Deus está acima, até do tempo, não desperdice nenhum segundo da sensação Dele.

Se as coisas acontecem segundo determinações de Deus, só nos resta viver. Não adianta pensar no tempo, não existe relação direta.

Só ele sabe em que “tempo” que corre e ocorre nosso destino.

Só Ele conhece todo o tempo que há pra conhecer.