Pra onde olhar?

[cheia de perguntas sem respostas]

Alguém pode me dizer qual o objetivo dos relacionamentos amorosos? Afinal de contas pra que diabos as pessoas vivem procurando alguém com quem compartilhar as maravilhas do mundo? Porque que a gente aprende que por mais que esteja tudo ótimo, se não tivermos com quem dividir isso ainda estamos incompletos?

Porque no final das contas nós ficamos esperando o felizes para sempre? Porque nos fazem esperar que um dia encontraremos alguém que vai nos amar e que seremos dois vivendo uma vida juntos? E porque diabos eu não me fiz todas essas perguntas a dois relacionamentos atrás (que juntos somam quase 5 anos de altos e baixos amorosos) extremamente desnecessários?!

Nos últimos anos entendi como deve ocorrer o processo de encontro com a felicidade: estar bem consigo mesmo e no final do dia saber que a sua companhia é a mais importante de todas; que é preciso de apenas um pra viver uma vida feliz e plena, que o para sempre é entre você e você mesmo. E como isso é lindo, estar tão bem a ponto da sua presença lhe bastar.

E como é bonito descobrir as belezas que existem no mundo ao lado da pessoa que mais importa: você mesmo. Apaixonar-se por si é inevitável nesse processo. É bem possível que ao longo da vida você se apaixone por outra pessoa, isso não é ruim, mas é importante entender que aqueles momentos que você pode viver a dois (ou mais) você pode compartilhar com a pessoa mais importante do seu mundo.

Apaixonar-se por outra pessoa é muito bom até, é desenvolver uma admiração saudável por outro ser, saber que alguém no mundo compartilha com você momentos importantes, pensamentos, opiniões, são duas pessoas que convergiram em algum ponto da estrada, que podem continuar caminhando lado a lado e viver perfeitamente suas vidas sem se aprisionarem.

Cheguei na fase da vida em que relacionamentos parecem uma necessidade de se certificar que alguém ainda vai gostar de você quando você acordar no dia seguinte. Parece que é uma forma de aprisionar sentimentos bons na vã tentativa de eternizar as boas sensações que o outro lhe dá, mas no final todos sabemos (e vemos vários exemplos) de que isso não tem funcionado muito bem.

Os sentimentos são livres pra irem embora quando quiserem, independente das gaiolas que construirmos entorno deles, o status de relacionamento não prende nada a ninguém, são prisões sociais que foram impostas e vão sendo repassadas como verdade absoluta. Não caia nessa, você é muito bom sozinho, e se encontrar alguém com quem compartilhar o mundo não divida-o, some-o e siga, quanto mais livre mais infinito.