Semana da gratidão

Uma vez por ano eu me dedico a agradecer. Um agradecimento diferente, a energia é um pouco mais dispersa do que o normal. Eu costumo agradecer ao universo pela força e pela vida, pela possibilidade de ser e de entender o que sou, mas uma vez ao ano esses agradecimentos são direcionados a outros lugares.

Me dedico a agradecer as pessoas. A cada uma delas, com suas peculiaridades e particularidades. A cada pessoa que direta ou indiretamente contribuem para que as coisas aconteçam do jeito que acontecem. Existem duas finalidades principais: a primeira é demostrar afeto, é falar pra o outro “olha, eu sinto essas coisas aqui por você que talvez você não saiba”. E a segunda é valorizar o outro, é mostrar pra ele que alguns gestos são tão belos a ponto de mudar o dia de alguém.

É o segundo ano que faço isso, tiro uma semana inteira pra escrever grandes textos, mensagens puras de coração, que possam iluminar o dia de alguém — mesmo que só por alguns segundos. É fazer um pouco de diferença nas rotinas normais das pessoas e dizer “há sempre um raio de esperança, obrigada por isso”. Agradecer se tornou o pilar da minha vida, é como se eu conseguisse a partir dai entender tudo que acontece ao meu redor.

É como se a energia do universo se concentrasse (mesmo que por uma semana) em proporcionar uma leveza inigualável a tudo, todos os problemas e as causas não resolvidas se tornam um peso leve e a sensação de que o mundo recebeu essa energia é como ser purificada.

Colocar a gratidão na minha vida foi o jeito que encontrei de devolver pro mundo todo bem que ele me dá. De dizer para o universo que eu tô sentindo que as coisas boas chegaram ou vão chegar e que eu tô feliz com isso, e que eu agradeço por me mandar essa energia. Nós somos feitos das energias que atraímos. E toda essa energia que o universo manda pra mim não pode ficar concentrada. Não dá pra ser egoísta.

É repassar para cada pessoa responsável por quem sou uma parcela da energia positiva que a vida me dá, afinal de contas sou feitas de pequenos fragmentos das pessoas que já passaram pela minha vida. É saber dizer “obrigada por sorrir pra mim no dia que eu tava mal”, mesmo que a pessoa não saiba o diferencial que aquilo fez. É a semana em que eu choro mais do que o normal, porque é quando tenho a certeza de que dar amor é o que eu sei fazer de melhor.

Vim ao mundo para dar amor. É isso. E sempre AGRADECER.