Trate a dor com respeito

Já falei uma vez sobre respeitar os sentimentos, e a dor não está isenta. Ela precisa ser respeitada. Jhon Green já afirmou que o problema da dor é que ela precisa ser sentida.

A tentativa de esquecer a dor ou de fingir que ela não está presente, é o que mais causa a sua perpetuação. Ela precisa de intensidade, e ela merece. Ela merece respeito, pois ela é tão nobre quanto qualquer outro sentimento. A dor precisa ser respeitada, afinal de contas ela é senhora de si - não manda recado, nem aviso prévio. Ela chega, se instala e te destrói de dentro pra fora: se você permitir. A dor exige respeito, afinal de contas algumas vezes ela é a única coisa que resta da beleza de viver.

Ela exige respeito porque além de tudo a única pessoa capaz de lidar com ela é um deus, é um senhor de si tal qual é a dor: o tempo. Caetano não exagera ao dizer que és um dos deuses mais lindos, afinal de contas ele é o único capaz de apaziguar aquela sensação de devastação silenciosa que a dor carrega para o nosso coração.

A dor precisa de espaço, carinho, atenção, dedicação. A dor no mapa astral tem sol em câncer, ascendente em touro e lua em peixes. A dor precisa de certeza, segurança e tempo. O tempo é o único capaz de lidar com sua grandiosidade, mas ele também precisa ser respeitado.

Não existe remédio, cura, reza, magia, muro de contenção ou qualquer instância para qual se possa recorrer. A dor é certeira e fiel, a praga que assola todos os seres humanos pelo menos uma vez na vida. Se não está doendo agora, vai doer logo mais, mas atente-se a beleza que a dor traz ao viver. A melancolia, a mágoa, o pesar tem em sua essência bons sentimentos e grandiosas descobertas de si e dessa majestosa que se intitula simplesmente como dor.