2015

E hoje entramos no último dia do ano, contabilizando as últimas horas para fechar as portas de 2015 e abrir outras para 2016. 
Esse ano foi um dos anos mais difíceis para mim. Foi tipo a minha 7 série da escola com direito a recuperação e provas finais das finais, foi suado mas passei. 2015 foi suado, mas passei. 
Parei para fazer a minha retrospectiva e apesar de várias coisas que poderiam encher meus olhos com lágrimas de tristeza, hoje vou escolher deixar eles marejarem pelas coisas mais lindas que me aconteceram esse ano, vou lembrar das risadas que me fizeram perder o ar, dos reencontros com pessoas amadas, das ajudas vindas de lugares inesperados e das palavras de conforto e carinho que recebi. Conheci poucas pessoas, mas poucas e boas posso assim resumir. 
Ganhei uma pessoinha que enche meu coração de alegria e meus olhos de saudade, eita distância!
Não ganhei dinheiro, não comprei roupas novas, não fui a restaurantes que gosto de ir; mas prendi a contabilizar o dinheiro e gastar com apenas o necessário, meus dotes culinários (posso me gabar e dizer) que melhoraram e voltei a usar roupas que estavam esquecidas no fundo do guarda roupa. Fui feliz! 
Esse ano aprendi a me desapegar de coisas e pessoas. Querem saber de uma coisa? Tem pessoas que parecem essenciais, mas não são. Confiem em mim e gente reaprende a viver sem elas. 
E para quem sofre daquela síndrome de esquilo, igual a mim, joguei fora muita coisa guardada e vendi outras. Ufa que alívio, fez espaço aqui no apê. 
E apesar do todos momentos difíceis Deus esteve e está comigo.

E se ainda der tempo para um conselho em 2015, aprenda a olhar tudo como um aprendizado, principalmente as dificuldades.

“Dificuldades muitas vezes preparam pessoas comuns para um destino extraordinário.” -CS Lewis

Obrigada 2015. 
Bem vindo 2016!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Sarah de Moura’s story.