Novos meios de estudar

Sarah Santos
May 13 · 3 min read

Ctrl PUC

POR: Larissa Santos e Sarah Santos

Apenas cinco por cento da população brasileira não acessa o Youtube. Das pessoas que acessam para estudar, se divertir e aprender coisas novas, 87% consomem qualquer tipo de conteúdo da plataforma a onde e quando quiser.

Devido à língua, é necessário que os conteúdos vinculados ao nosso país sejam produzidos nacionalmente e exclusivos. Além disso, nove em cada dez pessoas usam o Youtube para estudar, o que mostra a importância dos vídeos didáticos da plataforma.

Fabrício da Silva Scheffer, 43, leciona física e em 2009 começou a colocar no Youtube os vídeos das aulas que ele dava aos fins de semana para os alunos que não podiam comparecer. O fato de ter deixado os vídeos em modo público, gerou enorme alcance e as pessoas começaram a pedir mais aulas. Em 2012, Scheffer reservou dois dias da semana para se dedicar totalmente ao canal.

Canal Física Fábris

O professor ainda dá aulas presenciais, porém, acredita que os vídeos online ajudam muitas pessoas, principalmente as que não possuem condições de pagar por algum cursinho pré vestibular. “Acredito estar ajudando a socializar o ensino de física” relatou.

“A maioria dos jovens usam a internet para estudar, alguns só aprendem com as videoaulas” acrescentou Scheffer. Ele acredita na união do presencial com o online, pois no primeiro, o estudante precisa seguir o cronograma da aula, em sala. Na videoaula, o aluno faz sua própria grade de horários para estudar.

Carina Moura Barreto, 20, estudante, relatou para o Ctrl PUC um pouco da sua experiência com os estudos e o Youtube.

João Vitor Silva, 20, estudante de engenharia civil, também contou ao Ctrl PUC seu trajeto de estudos com plataformas online.

Como pode-se perceber no relato acima, Silva também utiliza o Discord, um aplicativo para conversas online, útil para estudos em grupos e jogos em equipes.

Marcelly Braga, 20, estudante, teve o Youtube e o Stoodi , como companheiros de estudo durante o Ensino Médio. Para possuir conteúdos diversificados, Braga resolveu pagar pela plataforma que oferece resumos e outras ferramentas aos pré-vestibulandos. Verifique seu relato.

Carlos Morais, 24, analista financeiro, tem o Youtube como aliado no âmbito profissional e no acadêmico. Sempre em busca de novas informações, Morais paga o Youtube Premium, já consumiu cursos onlines e ainda utiliza outros sites para obter conhecimento. Acompanhe sua declaração.


“O aluno pode usar o que for necessário para resolver a sua dúvida, mas o aplicativo iTeacher é uma ferramenta somente aluno e professor”

Logo aplicativo iTeacher (reprodução)

O aplicativo iTeacher está disponível na Play Store e é uma plataforma de estudo online, ponta a ponta, onde o aluno se inscreve digita o assunto de seu interesse e todos os professores que dispuseram a dar aula sobre o assunto e que estiverem online aparece. O estudante escolhe o professor que melhor lhe atende para sanar dúvidas.

“O aluno pode usar o que for necessário para resolver a sua dúvida, mas o aplicativo iTeacher é uma ferramenta somente aluno e professor, portanto, ele conseguirá resolver seu problema específico” declarou Ronaldo Almeida da Silva, 53, professor de biologia e criador do aplicativo.

Com o propósito de atingir pessoas de todas as idades e de todos os níveis de escolaridade o programa é uma oportunidade do aluno sanar todas as suas dúvidas o mais rápido possível além de abrir um novo nicho no mercado para professores.

“A aula presencial sempre será fundamental para que os alunos aumentem seus conhecimentos e gerem suas dúvidas e aí sim as aulas online vem pra complementar o conhecimento” conta o professor que completa “o aplicativo iTeacher vem para complementar a base de conhecimento do aluno com a resolução de dúvidas pontuais e online”.

Encontre mais informações sobre o aplicativo em suas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter.