Hoje é dia da visibilidade bissexual. O que eu gostaria de dizer às lésbicas?
Sapataria Radical
283

O “problema” é sempre a lésbica, né? Eu já sabia disso (ironia). O problema nunca é a bissexual escrota, lesbofóbica do caralho que SABE que está sendo escrota, que SABE que lésbicas sofrem mais do que qualquer bi (que na maioria das vezes está num relacionamento hétero) mas continuam nesse papinho para o boy dela dormir de“bifobia”, “lésbicas abusivas”, “lésbicas raivosas”, etc. Eu já estou CANSADA disso, ninguém liga para o que lésbicas falam, nós sempre seremos as “vilãs”. O que precisamos mesmo é começar a cobrar RESPONSABILIDADE POLÍTICA, é disso que nós precisamos, “rever conceitos”, “rever posturas”, já fizemos bastante, mas e a prática? Quem realmente faz o trabalho duro do dia a dia para mulheres fora do ativismo de internet? Já pensaram nisso? Pois é, são as lésbicas! Outra coisa que precisamos urgentemente é parar de tratar mulheres como crianças, “ain seja mais delicada com fulana, não é assim que se educa, blá, blá”, a mulher foi lesbofóbica? Vai ter que ser responsabilizada SIM. Vcs acham mesmo que elas não sabem que estão sendo escrotas e preconceituosas? Por favor, gente! Elas sabem sim, apenas não se importam, elas não se importam conosco, mas nós temos que tratá-las com o mais amor do mundo enquanto elas pisam em nossas cabeças! E sabe o que é pior? Nós fazemos isso.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.