The next time we meet

Estava num hostel e conheci um gringo. A conversa fluiu, “good English!” “Thanks”. Daí vem as coincidências da vida:
- Estou viajando há quase um ano pela América do Sul. Estive no Peru, Bolívia, Argentina, Colômbia e em vários estados do Nordeste. 
- Sério?! Pois eu tbm viajei um bocado nesses 6 meses!
-Quando vc esteve nesses lugares?
No fim das contas, poderia ter encontrado com ele enquanto estive no Peru e na Argentina. O cara, inclusive, passou o ano novo em Jeri! Nunca o tinha visto antes. Umas 2 horas de conversa e algumas cervejas depois e ele me conta que teve o celular furtado. Poooooha, esse cara é meu sense 8. 
-For real?? Só falta vc me dizer que foi na Argentina! 
- Não, isso a gente não tem em comum. Foi no Rio. 
A coisa mais feliz da noite foi que a vida resolveu apresentar a gente no momento mais propício: ele tinha um carregador e eu, por culpa da minha memória de merda, tinha esquecido o meu. Por fim, a vida não me deu uma alma gêmea, mas como o mundo ainda tem gente gentil e, de vez em quando, surpreende a gente com coisas boas, ganhei um carregador.
- Take It, I won’t need It anymore. Next time we meet, witch probably won’t take this longer, I may need something from you.”

Like what you read? Give Sarah Oliveira a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.