Eu não quis voltar pro Facebook

Desativar minha conta foi uma experiência desintoxicante. Foi ótimo poder dar atenção pra outras coisas, mesmo que o Facebook não me tomasse tanto tempo, como acontece com algumas pessoas.

Sair do Facebook me fez repensar como social media, que é o meu trabalho, mas também me fez pensar como usuário, como um numero analisado periodicamente por alguém que eu não conheço.

Hoje não vou devagar sobre corporações e manipulação de massa. Vou falar de um dos motivos pelos quais eu voltei.

Eu voltei por sua causa.

Você que me lê, é quem acompanha o que posto, pra onde vou, o que penso e com quem ando. Eu não sei se a gente se conhece tão bem -
e isso é meio errado, na minha opinião.

Nunca quis ter um número infinito de amigos no Facebook. Mas trabalhar em muitos lugares, mudar de cidades e estar em evidência em algum evento, fez com que esse número crescesse.

Fica aqui mais uma vez então, meus braços (ou abas) abertos pra gente conversar via direct/ inbox ou quem sabe tomando um café. Quero saber quais são as suas histórias, ouvir seu gosto musical e te ver crescer.

Afinal de contas, somos muito mais do que partido, órgão sexual, time de futebol ou religião.

Todos nós somos um só.
E é só isso mesmo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.