Esses dias percebi que a história da campanha de ódio promovida contra (e a de amor promovida a favor tbm) o Lula seria um bom caso de estudos para a função das nossas emanações vibracionais que em meios ocultistas e esotéricos se chamam elementais.
Primeiro, é importante não confundir os elementais de criação humana com os elementais na natureza, reprensentando as vibrações essenciais, auto-conscientes e inteligentes dos elementos da natureza: fogo, terra, ar, água e éter (e para alguns a luz tbm). Estes, os da natureza, são tema para outro tópico. 
Já os elementais de origem humana são aqueles criados através das vibrações emanadas por pensamentos, sentimentos, emoções e ações humanas ou através do uso de magia (que é uma ação humana daaaarrrr).
Para entender essa ideia é preciso entender, primeiro e acima de tudo, que todos os entes físicos são um ordenamento material organizado e sustentado por uma (ou mais) inteligências. E que absolutamente tudo ao nosso redor contém susbtância, o ar, a água do ar, a cadeira que você está sentado e esse computador. Tudo. E essa substância interage vibracionalmente com aquelas vibrações que nossos pensamentos, sentimentos, emoções e ações estão emanando. A essas emanações, coloquialmente, chamamos de energia. Entrentanto, convém lembrar que toda a matéria é energia ordenada em diferentes frequências e intensidades vibracionais. Então, uma matéria apenas sensível e não palpável, como o ambiente de uma sala, chamamos de energia. Mas na verdade, são vibrações no Ar, na Água do Ar, na particulas sólidas do Ar que estão nessa sala, expressas através da vontade (fogo) ou dessas emanações todas que soltamos a cada instante da nossa vida. Afinal, ninguém para de sentir ou pensar, certo? (Ninguém como nós. Conhecemos várias pessoas que atingem esse estado. Isso é outro papo, nem vem.)

Enfim, a cada ente, de criação humana ou Natural, para o qual dirigimos nossas emanações, também estamos fornecendo força e poder. É como a constituição de um local sagrado, por exemplo. Constroi-se um templo x num local y e depois de alguns anos das pessoas indo lá todo dia rezar e vibrar esse local tem a energia acumulada e potencializada, capaz de realizar movimentações as quais chamamos de milagre. Mas nada mais é do que o acúmulo gigantesco de uma ótima vibração, capaz de muita coisa incrível. Há lugares na Natureza que tem esse poder intrinsecamente pela própria característica de sua vibração, como a Chapada, Yellowstone ou tantos outros. Porém, é apenas uma grande quantidade de boa vibração que pode ser direcionada.
Um mago vai fazer isso num ritual. Resumidamente, através do exercício da sua vontade (e das técnicas, principalmente), vai criar um ser artificialmente e dotar ele de energia e propósito e então direcioná-lo para seu objetivo. Você achou parecido com clonagem ou inteligência artificial? Pois é. Porque acha que nenhum ocultista se surpreende com avanços tecnológicos? Em outras proporções, isso tudo é feito há milênios dentro das práticas.

Pois bem, voltado a Lula fria.

Longe de determinar culpa ou inocência, pois não estou aqui para isso, existe a mais de 30 anos uma campanha de ódio e difamação contra o sujeito Luís Inácio, promovida por certos veículos de comunicação. Abstenha-se, por gentileza, do julgamento ético ou moral sobre as figuras envolvidas para poder acompanhar o processo.

Pegue o processo descrito acima e inverta sua polaridade.

Por aproximadamente 3 décadas, toda semana, um certo semanário publica reportagens que estimulam o desprezo, a raiva e o ódio por essa figura. Cada pessoa que lê as reportagens envolvendo a figura e se identifica com a vibração apresentada pela noticia, vai vibrar exatamente essas emoções citadas. Junte a ele os outros meios de comunicação que engajaram nessa batalha. Com o tempo e a imensa quantidade de pessoas que lêem as noticias, essas vibrações vão acumulando e se potencializando, se constituindo num simulacro vivo que representa e manifesta essas vibrações. É como a criação de uma divindade. Na verdade, de um demônio, no caso.
E não é só isso. O processo liga todo mundo que vibra dessa maneira a esse simulacro. E faz com que as reações dessa ligação energética sejam razoavelmente as mesmas e todas muito ressonantes com o tipo de emoção que constitui esse simulacro. Apenas mencione o Lula para alguém que não gosta dele, atualmente. A pessoa é capaz de babar, como se estivesse possuída.
Guardadas as devidas proporções, pois não é nem de longe uma possessão, a energia que alimenta alguém ligado a essa imagem de demonio do Lula é essa mesma energia de ódio e desprezo contida no simulacro. Quanto mais forte for a ligação da pessoa com esse simulacro, mais facilmente flui a energia do simulacro para a pessoa, facilitando ou itensificando a vibração.
E isso vale também para o outro lado, que trata o Lula como um santo imaculado. Há um mesmo simulacro contendo vibrações de amor e gratidão por ele que flui para as pessoas que gostam dele ao ouvir o nome dele. Criticar o Lula para essas pessoas, é como falar mal de uma divindade para seu fiel ou de um time para o torcedor.
Junta-se a isso a própria personalidade de Luís Inácio que por seu mapa de nascimento com Sol na casa 12 em recepção com Plutão em Escorpião e Lua em Cancer em conjunção com Marte e Saturno, na casa 9, tem uma capacidade fenomenal de mobilizar o subconsciente e a fé das pessoas. Contra e a favor. 
É uma tarefa hercúlea ter uma posição imparcial sobre o Lula. Por estamos inseridos nessa gigantesca batalha de simulacros, um Lula Anjo x Lula Demônio, através das discussões políticas correntes no país, somos afetados por ambas e se distanciar delas dá um certo trabalho, mas é possível com alguma meditação e discernimento.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.